Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Crepúsculo - JAMMY SAID

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto conexões neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

A Claridade do Céu antes do nascer do Sol
ofusca meus olhos.
Na madrugada cega ao acaso ainda sem Luz.
Vagando ente ruas e becos vazios, embriagada ainda
de desejo.
Vejo um bar e tomo o ultimo gole de vinho.
O dia ainda não firmou e eu sozinha me arrastando
pela Cidade.
Limpo a boca com a mão.
jogo umas moedas no balcão.
Tropeço nas cadeiras e com olhos semicerrados
encaro meu algoz,
o sol que está querendo nascer...
Rezo com mãos postas para que o Crepúsculo demore
mais uns minutos...
Poucas pessoas na rua vagando como espíritos errantes
na noite fugindo do nascer do Sol.
Bêbados, Drogados, Prostitutas, Mendigos,
Trabalhadores da Madrugada.
Alguns carros nas ruas vazias teimam a passar
e querer me atropelar.
Já estou morta... Grito!!
O Câncer da noite me matou...
Me resta agora me esconder do Sol...
Encontrar um buraco qualquer e entrar...
Tô morta... Grito mais uma vez...
Alguém do outro lado diz: Cala a Boca...
Apenas gritos na madrugada.
Um Cachorro me segue e é o único amigo que encontro naquele momento...
Abraço o cão e choro... choro...
Choro de saudade de mim...
Grito Novamente: Tô Morta.
Dessa vez ninguém me ouve...
Levanto e o Cão me segue...
Alcanço um pão duro jogado no chão
porque faminta estou.
Porém olho para o cão ao meu lado com olhos tristes.
Divido o pão em dois
Grito: Estamos Mortos.
Dois invisíveis na madrugada...
Se escondendo do nascer do Sol.
Ao relento enfraquecidos e famintos...
Em um buraco qualquer.
Um cão e uma Mulher.

EM - CONEXÕES ATLÂNTICAS III - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Sem comentários:

Enviar um comentário