Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Pressentimento - JOSÉ LUIZ MELO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO AUTOR

Tonto de azul, lhe vi, tonta de azul,
muito mais que o azul do firmamento,
cujo azul me parece fingimento,
se comparando com o seu halo azul.

Tonto de sol, lhe vi, então, taful,
vindo feliz como um pressentimento,
que chega misturado a voz do vento
mas, não sabe se do Norte ou Sul.

Assim, no azul lhe vejo, à luz da noite,
mas não demora, após à meia-noite,
depois da madrugada vir trançar.

seus loiros cachos na manhã dourada,
vejo você, agora, ensolarada,
e a auréola do sol lhe coroar.

EM - SEGUNDO LIVRO DOS SONETOS - JOSÉ LUIZ MELO - NOVOESTILO

Aberdeen - CAROLINA MANGANA MONTEIRO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam mais da autora e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

A luz do dia por entre as folhas
Ilumina-me o rosto cansado.
O alcatrão negro reluz ainda molhado.
Os meus passos são abafados
Pela relva fresca de primavera
Enquanto as gaivotas dançam a sua caçada.
O vento gela-me os ossos e sopra-me os cabelos,
Tudo o que tem vida treme,
Revelando a imóvel pedra fria
Dos edifícios de granito velho.
Fui e vim, e nada mudou.
O sol fraco aquece-me a cara, e eu sou.

EM - HÁ QUEM NÃO ESCREVA POESIA - CAROLINA MANGANA MONTEIRO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Constelação - PATRÍCIA PORTO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

uma mulher se desprendeu de meus braços
era outra a outra
era eu mesma a outra nela acenando
partindo de mim em volume de terra
a planta terráquea e faminta
retorcida em todo corpo
dos dedos dos pés até o alto
envolvida torta nos meus cabelos
atravessada carnívora na carne doce
me esmagando até o sufocamento
se nutrindo de minhas partes mais moles
sólidas doídas e sem camuflagem
de enormes garras entranhando vísceras
misturada ao que eu era
já não sou mais argila húmus e lodo
há o nada e emborco vazia
na outra que agora sai viva no aparte
com tronco prótese osso enigma
já não é mais outra
eu a procuro
sou legião
nuvem massa pernas e peitos
tenho várias cabeças
todas nelas hidras
outra que era eu
quando eu outra era a mesma
onde está?
reflexo e pedra
da mesma língua
levadas juntas na correnteza
fluxam nossas sementes envenenadas
fluxos de nossas regras libertadas

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

A estrada da vida - MANUELA DINIZ

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

A vida é como uma estrada
onde fazemos uma corrida
que, para ser vivida,
precisa de companhia,
precisa de parceria
para amparar nas rampas escorregadias,
nos cruzamentos
sem sinalização,
nos buracos do caminho,
nas curvas apertadas,
no que aparece em contra mão!

Sim...
podemos fazer nosso caminho
nesta estrada que é a vida,
mas precisamos de apoio
e de muita parceria.

Por vezes, aparecem pedras
que temos que desviar...
outras vezes, essas pedras
são bem pesadas
difíceis de manobrar...

Sozinho não vive ninguém,
todos precisam de alguém,
porque ninguém pode ser feliz sozinho!

Todos precisam de amor!

Todos precisam de amigos,
para percorrer esta corrida,
nesta estrada que é a vida.

EM - ESSÊNCIA DE MIM - MANUELA DINIZ - IN-FINITA

terça-feira, 25 de junho de 2019

Lamentável... lamento - MANUEL MACHADO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Nasceram em eras de vacas magras,
Sopravam ventos de mudança
Por lugares, do tempo, na vida
Tudo lhes fizeram para que nada faltasse!

Nunca experienciaram abundância em liberdade
Entre savanas molhadas por tempestades tropicais,
Faunas sempre descritas em saudosas recordações,
Odores e sabores de inesquecíveis floras envolventes.

As lutas tribais, guerras e poderios
Forçaram ao abandono da cidade natal
Romando a solos desconhecidos dos antepassados,
Frios, distantes e carregados de incertezas.

Cedo a vida foi duramente traiçoeira
A doença fez secar a seiva do embondeiro paterno,
Ficaram sob a protecção da matriarca
Desafiada a lidar com duas gerações.

Uma década bastou à diferença
Educacional, sentimental e seus valores.
Perdidos no esquecimento do tempo,
Desaparecidos por nevoeiros da vida!

Eternizados nas consciências tal Adamastor.
Penas reconhecidas só em pássaros e galináceos.
Lamentável a ignorância às prioridades
Ausência de amor ao próximo, apenas lamento!

Lamúrias, lamentações e lamentos
Escutados por vielas silenciosas da cidade
Chorados em travesseiros nocturnos
Arremessados e afogados em marés agitadas!

EM - DAR VOZ A... - MANUEL MACHADO - IN-FINITA

Anaiando - PATRÍCIA CACAU

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Anaiando a vida

Ana indo,
Ana vindo,
Ana vida
Ana cores
Ana ama

Fitinhas de mim
Fora de padrão

Ana canta, encanta
Cantando e entoando a vida nas cordas do violão,

Voa passarinho construindo ninho no coração,

Ana voa,
Ana brinca,
Ana chora,
Ana nina,
Agora não,

Rodopia a bailarina no Demi pliê no salão.

Ana pinta
Empina a pipa,
o vento dar a direção.

Amores vem,
Amores vão,

Ana dorme,
Ana sonha,

Flores lhe enchem a mão,
São os abraços de Ana correndo na multidão!

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Sou - ISABEL BASTOS NUNES

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam mais da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Sou sombra quando o Sol aquece
Sou a brasa quando o Inverno vem
Sou o sonho no teu leito de sono
Sou água quando sede se tem
Sou a calma quando troveja
Sou estrela em noite escura
Sou a mão que te afaga o rosto
Sou quem se apaga na multidão
Sou refúgio para quem nada tem
E tantas e tantas vezes... eu não sou ninguém!

EM - ENTRE OS POEMAS... AS PALAVRAS - ISABEL BASTOS NUNES - IN-FINITA

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Tsunami - ANA P DE MADUREIRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

tsunami
o que me recua as águas
na sede de ti

e cresço
num quase rebento
até que me tomes
na brancura da espuma
que me borbulha no ventre

és-me lava
meu vinho

EM - NOS DEDOS AS PALAVRAS - ANA P DE MADUREIRA - IN-FINITA

Novas realidades - VIEIRINHA VIEIRA


LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA


Olhos andam despertos!
Paisagens que flutuam,
Caminhos de passos abertos,
Movimentos de seres, actuam.

Dores que cicatrizam.
Amores, sentidos sorri!
Palavras longas esterilizam,
Gestos por onde caí…

Sonos com angústia e leveza?
Sonhos que carrego, que tive.
Certezas com força e dureza,
Olhos que ensinam o que vivi!


EM - III CONCURSO LITERÁRIO - ANTOLOGIA - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Tarde demais - PATRÍCIA ANICETO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

há mais que um mar a nos separar
entre nós existe o tempo e suas intempéries
já é tarde
demasiadamente tarde para amar
para viver aquilo que negamos
quando ainda era cedo
quando ainda construíamos sonhos sobre nossos
                                                            medos
e não faltava coragem para continuar
quando ainda éramos nós
apenas nós sem que nos preocupássemos
apenas com nosso eu

eu poderia esperá-lo por toda eternidade
se acaso tivesse a certeza
de que não mudaria o tempo
e a conjugação dos nossos verbos
se acaso eu tivesse uma quase certeza
de que não seríamos apenas
uma fuligem na poeira dos anos
um rastro incerto perdido no horizonte
a nos encher de esperança

mas já é tarde
tarde demais para regressar
não espere encontrar meu vulto à beira do cais
seria o mesmo que encontrar-me à beira do
                                                              precipício
antevendo o fim onde haveria de ecoar meus ais

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Hoje quando amanhece - ALICE VIEIRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

dantes
tudo era necessário

                          sol
                          boca
                          flor


                          na terra se encontravam
                          e se multiplicavam

e era urgente saber
o rumo que os esperava

hoje
já nada surpreende

                                e quando amanhece
                                já ninguém pergunta
                                porquê

EM - DE ESTARMOS VIVOS - ALICE VASSALO PEREIRA (ALICE VIEIRA) - IN-FINITA

domingo, 23 de junho de 2019

Rotina - ALEXANDRE CARVALHO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA EDITORA
Saibam mais do autor e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

Julgo saber porque morremos.
Afinal a rotina mata
e rotineiramente
teimamos em acordar
a vida é feita de rotinas
para que cada uma
acabe e renasça
ou floresça outra vida
outra alegria
outra felicidade
na rotina do virar da aurora
há sempre um amanhã diferente
hoje cumpri a rotina da vida
acordei na alvorada aniversariante.

EM - ESTIRADOR COM ESCRITOS - ALEXANDRE CARVALHO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

O beijo do vento - SÃO SILVEIRINHA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA
Saibam mais da autora neste link

Singelo bafejo,
aproximas-te de mim, inebriante...

Vais-me despenteando ao de leve
para me beijares o pescoço.

Cheiras a terra molhada!
A mesma que tocaste na tua longa jornada...

Vens namorar-me
numa dança extasiante!

EM - OUTRAS LIBERDADES - SÃO SILVEIRINHA - EDIÇÃO DE AUTOR

Noite de mim - PALMIRA HEINE

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Quando fui noite
Me vesti de estrelas
Quando fui vento
Vesti tempestades
Quando fui tempo
Me vesti de sonhos
Quando fui dores
Me vi só saudade

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Mergulho em ti - ADRIANA MAYRINCK

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Mergulho em ti,
como jamais fui capaz de estar.

A profundidade de onde me encontro
ultrapassa a razão.
Não me reconheço em outros tempos,
nada está ou é, além desse momento
em que me deparo preenchida de tudo
e totalmente vazia de lembranças.

Mergulho em ti,
como jamais fui capaz de desejar.

O instante que se faz em nós
fusão e complemento
sedenta, liberta e preenchida
afasta ventos gelados.
Aqui o sol arde e faz morada
ofuscada por teu olhar.
Embriago-me no doce sabor de beijo
e permaneço no desejo incontido do eterno.

Mergulho em ti,
como jamais fui capaz de ficar.

Silêncio na contemplação
do sentimento que transborda
e engole palavras que se repetem
na ânsia de permanecer.
Debato-me na calma e na certeza
de contar a nossa história.
Distancio-me dos reflexos de outrora.

Mergulho em ti,
como jamais fui capaz de sonhar.

Entrego-me aos teus braços,
aquecida pelo calor do teu corpo
que me abriga e envolve todo o meu sentir.
Pulsante e extasiada, caminho
pelo lado de dentro ao encontro de nós.
Finco raízes no porto de chegada
e contemplo a imensidão do querer
que avassala e conforta.

Mergulho em ti,
como jamais fui capaz de amar.

E em sussurros deixo ecoar no vento... amanheceu!

EM - ALMA IN VERSOS - COLECTÂNEA - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

sábado, 22 de junho de 2019

Criações - JOÃO BARNABE

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Entre a união de fogos antagónicos
E a paixão da água ardente
Nasceu no meio de um grito pequeno
Onde a pacificidade outrora foi miragem
Entre paredes nas terras sentadas

Chega de leve com receio do povo
Entrega-se com doçura e dança formosura
Capaz de entender até o outro problema
Estende a fronteira e quebra o dilema
Como seu fado foi feito na forma de simpatia

As armas renegadas às entregas na dissipação
E a repetição de palavras
Porque por vezes não há palavras para descrever
Certas coisas como a bondade humana
Que de tão rara se faz
Que por ser rara é fruto do além
E sem saber porque é assim
A serra de Sintra a fez enfim.

EM - A VERDADE DE UMA MENTE DORMENTE - JOÃO BARNABE - IN-FINITA

Canteiros de saudades - CRISTINA MOITA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Terra que nevas das árvores
Ficas bela mesmo assim,
Tens canteiros de saudades
Arrancados do teu jardim.

Teus canteiros de amores eleitos
Desfolhados pelos meus olhos,
Foram de amores tão perfeitos
Que ainda os choro aos molhos.

Minhas mãos tão pequeninas
Com vontade d`os arrancar,
Hoje já estão crescidinhas,
Entenderam o verbo amar;

Tudo o que nasce um dia morre
Temos que colher com o amar,
Porque a água não pára, corre
Neste rio que vai dar ao mar.

EM - ESTRELAS DE AFETO - CRISTINA MOITA - IN-FINITA

Lótus e lutas - ORLEIDE FERREIRA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Sobre redes e muros
Barreiras de aço
Obscuras armadilhas
Memória vil
Encrustrada em garras
De falsas crenças
E farsas

Submissão imposta à ferro
Com veneno
Entorpecente
Se fez opressão propagada
Densa, última dose
Basta

A fria
Lama
Patriarcal
Arcaica
Cai

Emergem-se raízes firmes
De trama crescente
E invisível
Paralelas, entrelaçadas
Flores vivas, folhas fortes
Vigor de vênus
Viçosas pétalas
Mulheres libertas

Terra sagrada
Que tinge a pele
De poeira vermelha
Ancestral, guerreira

Tambor que ecoa
Nos pés descalsos
Escudo camuflado
Proteção
Corpo fechado

Mantra intraterreno
Lótus no canto entoado
Lutas, mulheres em rito
Em uníssono hino
Vitória
Machismo sob o chão
Abismo

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Quando fecho meus olhos - SHIRLEY PINHEIRO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA

Quando fecho meus olhos
te tenho aqui
quando abro meus olhos
te vejo ali
É neste abrir e fechar de olhos
que entro em perdição
Perco minha alma e razão
e quem comanda é o coração!

EM - MERCÚRIA - SHIRLEY PINHEIRO - CATALINA EDIÇÕES

sexta-feira, 21 de junho de 2019

A dança - HORÁCIO ALMEIDA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA IN-FINITA
Saibam mais do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Quero envolver-te em meus braços
Livra-te da tristeza com emoções
No som da melodia vive sensações
A música a espaços e compassos.
Movimentos sinuosos vamos dançar
Sacia a sede latente liberta teu corpo
Sincronia gera excitação no enlaçar
Sentir o teu abraço é meu conforto
Nossos corpos unidos entrelaçados
Com odores perfumados dormentes
Suados, cansados, mas consolados
Sensações e estímulos envolventes
Candura afeição na dança são magia
Levita o corpo e a alma por fantasia
Volúpia intensa pureza sensualidade
Mistura de musica e dança sinergia
Êxtase consagrado com serenidade
Saudável e calmante a dança frequente
Estimulante bênção do corpo e da mente.

EM - TEMPO E SAUDADE - HORÁCIO ALMEIDA - IN-FINITA