Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Simples, como eu... - MANUELA DINIZ

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Escrevo de forma simples,
tão simples como eu...

Gosto do jeito como vejo a vida...
sem complicar,
sem julgar,
sem ódio,
sem rancor
e tento pôr,
em tudo o que faço,
uma partícula de amor...

Escrevo de forma simples,
porque as coisas simples me atraem...

Uma minúscula flor
ou um colorido pardal,
até o grito das gaivotas,
que comparo a uma orquestra musical,
desafinada,
estridente,
pois não sei se discutem
ou se cantam
mas, a mim... encantam!

Gosto da simplicidade das feiras,
das cores,
das frutas e das hortaliças,
da vendedora que apregoa,
do garoto que passa a correr,
da mãe que ralha e ameaça bater...

Sim, escrevo de forma simples
porque assim eu sou,
assim eu vivo,
assim me dou.

EM - ESSÊNCIA DE MIM - MANUELA DINIZ - IN-FINITA

domingo, 26 de maio de 2019

Interpretando-os - JOÃO BARNABE

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Interpretando os que falam sobre a terra
E os que plantam a inveja de um olhar
Cada olho que germina
Abre a folhagem e o sol interrompe
Ele não quer iluminar esses olhos
Que da terra nasceram
Mas que foram plantados por alguém
O sol recusa-se a pecar
A fornecer vitalidade para quem desesperadamente
Quer envenenar uma vida tão luminosa

Os astros flamejantes entram em colapso existencial
E as luas, cometas e pedregulhos
Que viajam pelo universo que existe em todos nós
E a vida fugaz luta
Treme de frio e rubra a pele
A escamação dilatante e a sede em frente
Vão todos atrás da confusão universal

Certa certeza de que o universo criado
Foi atrás de um criador que jaz
E vai semeando uma dor um filho aqui
Outro acolá
Então os dois vão-se recusando a regar
Fecundar o mar de olhos verdejantes
E os mundos acabam enfim por terminar.

EM - A VERDADE DE UMA MENTE DORMENTE - JOÃO BARNABE - IN-FINITA

Visita - ANITA SANTANA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Saibam mais da autora neste link


Conversa de pássaro no telhado
Vem fazer parte do silêncio
É companhia orquestrada
            Pra quem está só.
É refúgio para os pensamentos
De voos distantes e pouso incerto
É carona para andanças aventureiras
A passos intrépidos , cambaleantes.
Cantarolam.. e cantarolam...
Até  que é chegada a hora
E segue em revoada na busca por abrigo
E eu permaneço aqui ...
            Sem canto e sem asas...!


EM - VERSOS & CLIQUES: INSTANTES - ANITA SANTANA - EDITORA ZARTE

Todas - JANETE GONÇALVES DE FIGUEIREDO SILVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

O homem que me ama é um santo,
Pois sou mulher difícil de amar.
Trança e unge minhas pernas como um monge,
que se desvencilhou do manto, a agonizar.

O homem que ama é um tolo,
Pois só vê o corpo, a carne, os ossos e sangue,
quando me olha em nosso leito.
Não consegue ver sentimentos, dentre os lençóis,
Pois escondo, como louca em seu degredo.

O homem que me ama é uma fera,
Quando me olha como caça a abater.
E eu, como caça, fujo em uma desabalada, doida
Para me deixar alcançar a frente, e enlouquecer.

O homem que me ama comanda meu navio,
E navega firme, quando sou mar bravio,
Pronta a naufragar em quem em mim navega.

O homem que me ama não diz que ama,
Pois palavras, ele diz, não me traduzem,
Mas me quer e me faz forte para eu ser única, e,
muitas e todas que eu quiser ser, e ele... Ama todas elas.

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Sentidos cegos - MANUEL MACHADO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Desejo minhas mãos incólumes, sadias
Fortes mas sensíveis ao meu bastão Hoover
Ávidas aos carinhos na tua pele sedosa,
Famintas de Braille em leituras ou escritas.

Há chilreados no ar, aves, pássaros nunca vistos
Pressinto distante tua voz melodiosa e meiga
Meu corpo estremece ao bater de ondas nas rochas
Jorram gotas salinas, por melodias orquestrais.

Hoje pairam no ar distintos cheiros de alfazemas
Anseio Primaveras de camélias e roseirais
A pituitária estremece ao sentir cozinhados, doçarias
Meu olfacto galopa e vibra nas asas do vento.

Rejubilo ao distinguir sabores de sal ou agridoces,
Sorrio aos rodopiares de danças entre língua e papilas,
Minha boca queda-se à tua de odores frescos,
Paladares astutos espicaçam prazeres inesquecíveis.

Minhas janelas para o mundo nunca se abriram.
Intensidades luminosas de ontem, agora penumbras,
Apenas imaginadas cores vagueiam pensamentos.
Saboreio tua boca, tateio meu corpo, glorifico a vida!

EM - DAR VOZ A... - MANUEL MACHADO - IN-FINITA

sábado, 25 de maio de 2019

Desaprendido - LAURINDA RODRIGUES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA
Saibam mais da autora neste link

Não ter brechas no meu corpo luminoso
Sem um modo impecável
Na fantasia e no ser

Vir ao mundo falar-vos de Saudade
E regressar
Para o nada que de tudo é feito

Aceitar as vossas queixas
Cântico
De passagem para o silêncio

Tudo deveria (pelo menos)
Ser desaprendido

EM - VERTIGENS DO SER - LAURINDA RODRIGUES - EDIÇÃO DE AUTOR

Quero o silêncio - ANA P DE MADUREIRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

quero o silêncio
das manhãs escondidas
por dentro do mato
enquanto
os olhos se cerram
pingando a noite
e as árvores se alongam
farejando o vento

e no cimo dos montes
os passos
viajam nas mãos
no cheiro da terra
adormecida ao sol

e escuto
as vozes não ditas
que pairam recônditas
guardiãs dos meus mistérios

EM - NOS DEDOS AS PALAVRAS - ANA P DE MADUREIRA - IN-FINITA

Que não nasçam mais rosas de Hiroshima - JAMMY SAID

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Toca os Tambores Africanos...
Seus Sons Atravessam Oceanos.
Um Pedido de Socorro...
Os Índios Cantam e Dançam em todo Mundo.
E Passaram os Anos.
Adultos, Crianças e Adolescentes.
Precisam se Conscientizar.
Amar...Amar...Amar...
Ouçam o Assobio do Vento.
Anunciando novos tempos...
Fecham os Olhos e Sintam.
Se Permitam.
E Tempo de Plantar.
Não vamos deixar Morrer as Flores.
As Cores...
Que não Nasçam Rosas de Hiroshima.
A Bomba Nuclear.
Destruição e Mortes.
Sofrimentos e Dores.
E o Povo jogado a Sorte.
Vamos Reconstruir...
Um Mundo perfumado
Um Povo Amado...
Quero Viajar, Passear.
Conhecer Lugares e Histórias.
Culturas!
Sem Pessoas que explodem em Nome de Religiões.
Que a Única Religião Seja o Amor.
Quero Sair sem Medo Pelas Ruas de meu País
Conquistar meus Direitos sem Prisão
E não sentir meu Coração parar com um Tiro.
E Viver em um Mundo Prisão.
Que a Natureza, os Animais.
Tenham Direito a Vida.
E as Cidades não sejam Poluídas.
Quero acreditar no Valor da Vida...
Não a Desconstrução de Ideologias...
Um dia Cantou o Poeta Cazuza.
“Ideologia, eu quero uma para Viver.”

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Primeiro esboço para uma autobiografia - ALICE VIEIRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

estou calma e dura
vencida no olhar dos que me sabem só

cansada de esperar o teu perfil
nas margens sem fronteira duma aurora
exigi que nascesses do silêncio
e sorri
confiada no milagre

estou calma e dura
vencida no olhar dos que me sabem só

EM - DE ESTARMOS VIVOS - ALICE VASSALO PEREIRA (ALICE VIEIRA) - IN-FINITA

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Saudade minha - ANABELA SANTOS

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Chuva bate na janela
Está na hora de acordar
Mas com vontade de ficar
No aconchego do lar
Vento, chuva, frio
Faz frio, estremeço
O dia vai começar
Com esperança
De te encontrar
Para te dizer que tenho
Saudades de te ver
Afagar teus cabelos
E em teus braços me perder
Com muito amor para te dar.

EM - DEIXEI O CORAÇÃO FALAR - ANABELA SANTOS - IN-FINITA

Teu corpo - HORÁCIO ALMEIDA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA IN-FINITA
Saibam mais do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Teu corpo ondulado
Desperta minha mente
Gera excitação latente
Amo teu leito aveludado
Sôfrega ânsia desmedida
Sentida e desejo querida
No empenho é louvor
Absorvo teus fluidos
Na paixão do amor
Beijados e transpirados
Mistura sabores salgados
Saboreados sem pudor
Profundo amor insano
Com ternura e afectos
Profano é pura iguaria
Elevação e magia
Bênção com fervor
Nunca será heresia
Nossos corpos entrelaçados
Com odores perfumados
Adormecidos e consolados
Romântico por natureza
Candura afecto almejado
Volúpia e intensa pureza
Desejo, êxtase, consagrado
Não sou poeta, nem trovador
Afável amistoso carinhoso
Sublimo neste poema louvor
Enalteço a nobreza do amor.

EM - TEMPO E SAUDADE - HORÁCIO ALMEIDA - IN-FINITA

Poema do desalento - IZILDA BICHARA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Neste dia, um poema.
Um só poema,
que pede para ser escrito,
que pede para ser o grito
das vozes que nunca falam,
dos estômagos vazios,
das crianças sem escola,
daqueles que dormem nas ruas,
daqueles que morrem de frio,
dos que se escondem no medo,
dos que madrugam nas filas,
das mulheres espancadas,
dos inocentes tombados.
Um poema sem futuro
àqueles a quem tanto faz,
já que não têm amanhã.
Nem hoje.
Nem nunca.
Neste dia, um poema.
Só este poema-grito.
Um poema silencioso,
sem rima, sem esperança.
Um poema sem poesia.

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Vida, dor, morte de felicidade - ALEXANDRE GERARDO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam mais do autor e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

Traidora é a morte.
Num momento vivo, noutro deixo de estar.
Traidora é a morte,
Que não me deixa lutar.
Traidora é a morte que num instante: ZAP!
Deixa-se de cá estar.

Mas traidora de verdade não é a morte!
Mas sim a vida,
Cheia de mágoas, horrores e dores,
Destruidores de felicidade e criadores de horrores.
Traidora de verdade é a vida
Que mata, corrompe e corrói,
Enquanto que a morte é a salvadora das dores
Põe fim a tudo, a uma vida de terrores.

EM - AS DORES DE UM POETA - ALEXANDRE GERARDO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Dançar - LUZ LOPES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam da autora e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

Quero dançar contigo
Todas as músicas de amor,
Encostar-me a ti, peito a peito,
Num sentimento profundo.
Dançar contigo
Até ao fim do Mundo!

EM - GRITOS DE SILÊNCIO - LUZ LOPES - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Acolhe-me - ALBERTO SERRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR ADRIANA MAYRINCK

acolhe-me
amor
na colina
breve
do teu
ventre.
beija-me
com todas as palavras
pontuações.
ouve a minha respiração
nos teus
seios.

acolhe-me
amor
na
escala
exacta

dos
teus
olhos
outonais.

EM - À SOMBRA DO SILÊNCIO/À L'OMBRE DU SILENCE - ANTOLOGIA BILINGUE - MOSAICO DAS PALAVRAS

Oferenda - ISABELLA BRETZ

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

(para minha mãe)

Era ali que tinham fim
meus pequeninos
gigantes medos
Envolta de mim,
esse jardim
mostrava do mundo os segredos,
a direção em seus dedos

Pisco e o tempo já passou
E quem foi ao chão
já voou
Ajuda-me a ser
Mas deixa-me ser
Assim também eu farei por ti,
só assim poderemos
ser nós
E como um barco que navega
a sós
vai, vai
onde quiser,
mas leva em si seu ouro.

Se eu não conseguir
dizer, mostrar, desencobrir...
Perceba por mim,
veja por mim
E deixa eu de novo abrigar-me em ti
Deixa eu de novo abrigar-me em ti
Me deixa voltar ao calor
em ti.

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Quitéria - CRISTINA MOITA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Um poema rouco, com falta de ar,
De perninhas gorduchinhas e doentes
Que só eu posso gostar,
E quem vier a seguir que lhe conheça os dentes.
“Ai filha” ouvi tanta vez
Com aquele sorrisinho maroto,
Se um sorriso eu não esquecer,
Vai-me sempre entrar no goto.
Vou guardar como um docinho,
Na minha memória do gosto.
E por falar em cair no goto,
Caiu meu tio na desgraça
Quando me levou à taberna
E eu soltei uma ameaça,
Com bêbados nunca dancei,
Em pequena, nem sequer lhe olhei para o rosto,
Se querem beber bebam água,
Depois não venham com a mágoa!
Sempre tive mau feitio, embora fosse engraçada,
Como dizia a minha tia Quitéria
– Esta miúda é uma endiabrada, mandou o bêbado para um sítio
... Ah minha desgraçada!

EM - ESTRELAS DE AFETO - CRISTINA MOITA - IN-FINITA

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Amor e os dias - ALBERTO CUDDEL

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Pudessem os dias ser apenas amor
E as horas ausentes de dor!

Mas correm direitos os ribeiros
Mastigando as pedras, carreiros
Minutos caídos em sobranceiros
Trilhos, pelejados de caminheiros!

Os dias em que deito a cabeça
Na erva fresca do teu decote
Não são tempo que ainda meça
Ou que em mim hoje o recorde,
São dias, meramente dias...

Mesmo que interrogasse o espanto
Os deuses, o teu choro de pranto
Nada saberia de ti, de mim, dos dias
Apenas certo e desconcertante, sofrias
Pela ausência de gestos, de dias, de amor!

EM - COMO FAZER AMOR - ALBERTO CUDDEL - IN-FINITA

Estória - ALEXANDRE CARVALHO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA EDITORA
Saibam mais do autor e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

Escrever um quadro como ucronia
pintando o céu com tinta encantada
alegrando a tua noite de monotonia
desapertar o teu corpo na estrada

Não adormeço esmagado nesta insónia
engano-me nas batidas aladas do grilo
clamando por companhia de cerimónia
na arte mágica dum amor sem sigilo

A chuva seca a lavagem da alma
olhos tristes refletem-se no vidro
aumentam o brilho de vivalma
com paz interior de choro anidro

Congelam em cristais os sonhos
despertam oceanos dos sentidos
as tuas palavras toques medonhos
num sussurro de ósculos perdidos...

EM - ESTIRADOR COM ESCRITOS - ALEXANDRE CARVALHO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Gaivotas (fêmeas) no horizonte - ISABEL FURINI

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Mulherio das Letras Portugal neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

vento marinho do entardecer
cheiro de iodo
a praia é invadida pelos gritos das gaivotas

somos arrastadas pelas torrentes de pensamentos
(veleiros imprudentes)
deslizamos nossa alma
entre
as silenciosas pausas
dos            espaços            vazios

nas praias, nos rochedos
e nos mares desertos
enxergamos nosso ego feminino
(gaivota sem ninho)
ancoramos nos perigosos alcantilados
do ego
e poetizamos mundos impossíveis.

EM - MULHERIO DAS LETRAS PORTUGAL (POESIA) - ANTOLOGIA - IN-FINITA