Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sábado, 18 de novembro de 2017

Páginas da vida - HONORÉ DUCASSE

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Não sou um livro
mas tenho páginas da vida
onde moras
e me amanheces cada noite
como se fosses lua
e no entanto
não sou livro por ser
sou-o apenas
por te saber

EM - INTRANQUILA QUIETUDE - HONORÉ DUCASSE - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Ambos sabemos - CARLOS PAIVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Segredos são pedaços de nós,
têm lágrimas e risos contidos,
são parte da nossa vida.
Mas, pensando neles concluí
que não os há entre nós.

Eu vejo com os teus olhos
o que tu vês com os meus.
Na realidade ambos sabemos
quanto vale uma amizade
sem segredos só com verdade.

Mesmo aquilo que não dizemos
não está oculto, sabemos.
olhando-te nos olhos eu sei
que tu sabes o que eu sei,
sabendo que nem tudo dizemos.

EM - TANTO MAR - CARLOS PAIVA - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Tudo evolui - BERNADETE BRUTO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Podem saber da autora neste link

Como é vantajoso ter vivido muito
a evolução compreender
e até agradecer
presente desta natureza
dentro da própria cidade
ao passar num repente
as portas
assim como a vida
até a mente
abrem-se automaticamente.

EM - QUERIDO DIÁRIO PEREGRINO - BERNADETE BRUTO - NOVO ESTILO EDIÇÕES DE AUTOR

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

II - BÁRBARA LIA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Saibam sobre a autora neste link


Relva úmida de um sítio no interior
Curral pleno de feno. Uma amiga simplória
Seus rascantes conselhos, a frieza alemã:
- Fique do lado de cá do arame farpado!
Sem fala ululante, voz melosa ou 
                                         [louvações inócuas
O mundo é um pasto pleno de vacas perigosas
Mesmo que elas atirem sonsos
                                        [olhares molhados


Ainda hoje eu sigo assim: lado de cá do
                                         [arame farpado

EM - FORASTEIRA - BÁRBARA LIA - VIDRÁGUAS

3 quadras - PINHO NENO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO AUTOR

470
Por grande sofrimento tem passado
Com efeito, o teu Povo. E tu também,
Que, após terem-te em mito transformado,
De Roma te fizeram seu refém.

471
- Evento que, afinal, desconhecia...
- Mas que ficaste agora a conhecer.
E quantos sobre ti eu não sabia
Que entretanto, me deste a perceber?!

472
-Valeu a pena, creio, o sacrifício
A que nos sujeitou esta romagem...
- Embora, a certo passo, houvesse indício
De para prosseguir faltar coragem...

EM - JESUS DE NAZARÉ E AS FÁBULAS DO CRISTIANISMO - PINHO NENO - EDIÇÃO DE AUTOR

XXXIV - CIDA PEDROSA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Podem saber da autora neste link

Em noites de pouca luz
Olho para o céu e vejo
Doce, suave, lampejo
Que a natureza conduz
È um corpo que reproduz
No espaço o novo lume
E antes que se esfume
Escrevo um novo opúsculo
E entrego o negro crepúsculo
Aos faróis do vaga-lume

EM - CLARANÃ - CIDA PEDROSA - CONFRARIA DO VENTO

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Amor - NUNO SILVA CAEIRO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

O amor... estranho sentimento
Que deixa as almas em tormento,
Os corações em pesado sofrimento
E o Ser em um completo desalento.

O amor traz-nos muita felicidade
Faz-nos para a vida e tudo sorrir!
Investindo-nos de sobeja liberdade,
Todos nós gostamos bem de o sentir!

É um catalisador de emoções,
É um experimentar de sensações,
É um incentivo para canções!

É impossível procurar defini-lo,
O que é bom mesmo é senti-lo,
É o que faz bater nossos corações.

EM - ELECTRÕES DE UM ÁTOMO - NUNO SILVA CAEIRO - CHIADO EDITORA

Menina de tranças - GRAÇA PIRES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Não sei se os espelhos
me querem enganar,
ou se tenho agarrado à pele
o clarão das searas.

Hesitantes, os pássaros, gostam
de balouçar nas tranças
que me caem sobre os ombros,
enquanto corro, assombrada
e sem fadiga, em direcção
à última luz do dia.

Escondi, atrás dos cântaros, algas
escorregadias para deslizar até ao mar.

Vou conhecer a exultação das marés
no excesso da torrente.

EM - FUI QUASE TODAS AS MULHERES DE MODIGLIANI - GRAÇA PIRES - POÉTICA EDIÇÕES

Porquês - TERESA DUARTE REIS

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Podem saber da autora e adquirir o livro neste link

À luz do candeeiro
Parei
Em ti pensando!
     Li, reli páginas escritas
     Como se fossem poemas
     Que deslizavam a meus olhos
     No desejo dos teus.

Poemas!
Que ora eram rios de águas claras
Ora novelos enredados
Sem resposta aos porquês.
     E fiquei sem perceber
     O que me estava a acontecer...

EM - PORQUE OS SILÊNCIOS TAMBÉM SE ESCREVEM - TERESA DUARTE REIS - EDIÇÃO DE AUTOR

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

48 - JOÃO AYRES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR
Saibam sobre o autor neste link

De tudo que sobrou os restos dos restos estão aqui
Por sobre a mesa como um tanto de qualquer coisa
Farelos de pão, restos de comida fria, restos de bebida no copo
Os restos destes restos nestas moscas e neste cão faminto e nesta casa e nestes escombros em carne e osso
O final neste final tão sem sentido como estas palavras frias e cambaleantes
O final nestes corpos cansados em final de noite
Neste silêncio de quem morre por motivo ignorado
Neste jeito de ócio no cheiro de gordura de uma panela secular
Neste desejo de matar o que quer que seja por motivo ignorado
Nesta sede inexplicável no deserto inóspito de uma alma atormentada.
  
De tudo que sobrou os restos dos restos estão aqui
Como uma saga maldita que se arrasta por anos a fio
Quando sinto esta ânsia de vômito naquele odor de desinfetante de cozinha
Naquele nada adiposo que esbravejava como um cão sem dono
Em alguém que tinha o hábito de ir de um cômodo a outro a contar as horas de seu exílio
No tal relógio preciso na angústia de tardes inteiras em perpétuo abandono
Nestes restos, neste ponto final na mobília empoeirada e no mofo das paredes vazias
Nestes restos dos restos dos restos e nada mais
Dos restos e de tudo que sobrou e que está aqui
No registro deste veneno ordinário que peleja em minhas veias

Neste mal qualquer enraizado em meus dias de extrema sevícia

EM - POEMAS ESCUROS - JOÃO AYRES - ARMAZÉM DE QUINQUILHARIAS E UTOPIAS

Soneto a meu pai - ANTÓNIO MANUEL ESTEVES HENRIQUES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

No dia que se escolheu ser o do Pai
De ti, meu querido Pai, me recordei
Tua lembrança, da memória não me sai
Nem tampouco, todo o amor que te dei

Pai que de mim sempre gostaste
Sabes que de ti sempre gostei
Embora várias vezes te zangasses
Com as dores de cabeça que te dei

Descansa em paz nessa eternidade
Meu coração por ti sente saudade
Por não estares aqui ao pé de mim

Pai que por mim foste admirado
Embora com teu final atribulado
Porque o decidiste querer assim

EM - PEDAÇOS DE MIM, O POETA E A VIDA - ANTÓNIO MANUEL ESTEVES HENRIQUES - CHIADO EDITORA

Desenguiço - JOSÉ LUIZ MELO

Mudei apenas a perspectiva
com que encaro a vida frente a frente,
sem deixar margem para invectiva,
sequer pestanejar,rapidamente

dar minhas costas. Atitude altiva
de quem seu rumo toma,indiferente,
às palavras que seguem compassivas,
enquanto outras murmuram acremente.

Eu não sei que vantagem ganho nisso,
ou se apenas eu fiz um desenguiço,
livrar-me de um feitiço abrasador,

de sempre procurar a minha estrela,
mais distante, de fora da janela,
quando lhe tinha sob o cobertor.

EM - LIVRO DOS SONETOS, DOS PRIMEIROS AOS PENÚLTIMOS - JOSÉ LUIZ MELO - NOVO ESTILO EDIÇÕES DE AUTOR

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Caminhada matinal - LENILDE FREITAS

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Saibam sobre a autora e o livro neste link

Do mar,
O sol ascende
em direção ao dia.
O voo de um pássaro
agita o horizonte mais recôndito
de uma lonjura sem termo.

Continuas a caminhar,

como se a alma não tivesse abismada,
como se o dia não fosse findar.

EM - A CORÇA NO CAMPO - LENILDE FREITAS - EDIÇÃO DE AUTOR

Partida - MANUEL MACHADO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Vais partir.
Ai como é doloroso
Ver esta hora chegada.
Maldito ciclo
Esta vida tem,
Que para termos
Um pouco de felicidade
Nos obriga
A tantas separações.
Apetece-me gritar,
Para que todo o mundo
Saiba da minha angústia
Vais partir mas...
Volta depressa.

EM - O QUE A MINHA CANETA ESCREVEU - MANUEL MACHADO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Cantando fala...* - PEDRO GARCEZ PACHECO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam do autor neste link
Saibam do livro neste link
Conheçam a editora no link

Cantando fala
às vezes a chorar
este piano negro e branco
de voz leve e feminina,pura,
notas poisadas num manto,
gota-a-gota,
sem magoar.

EM - PARTITURAS DE UMA NAU - PEDRO GARCEZ PACHECO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

O liberne - ANA MARQUES

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Um liberne uiva nos bamburrais
rosnando alto por entre os vidoeiros
como tosco trasgo nos urgueirais
conspirando contimares verdadeiros.
Um liberne fareja entre as brenhas
vem brunal, feroz e façanhudo,
falcate e aos lores pelas penhas
com entono mas muito estranhudo.
Regouga alto na noite relengueira
deitando-se à paixão da sua maré,
animal bragado na ceifada paveia
provocando na gente grande babaré.
Sozinho, zoilo, andando à malta
entreloiçando torgas e fieitos
aos homens lapuzes sobressalta
com seus desejos e arros suspeitos.

EM - BARRIGA DE POEMAS - ANA MARQUES - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Amor proibido - DORES ALMEIDA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam sobre a autora neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Quando o amor é proibido
Tudo se torna mais forte, atraente e interessante

O tempo passa tão rápido
E cada segundo que passa
Tudo é doçura, loucura e frescura

Cada beijo da pessoa amada
Transforma-se em algo inexplicável, incontrolável
No entanto, suportável

Amor proibido é sofrimento, tormento
Entretanto, é lindo quando é recebido, compreendido
E vivido

EM - DESABAFOS DE UM POETA - DORES ALMEIDA - CHIADO EDITORA

Silêncio - CRISTINA LOPES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam sobre a autora neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Silêncio é o verbo da palavra ser
A luz declinada por entre as brumas do alento
A calma da cinzenta tranquilidade
Sereno e quieto
É esse espaço onde sou
Silêncio é esse tempo onde tenho posse de mim
Na ondulada vibração da teoria
Na prática intuitiva do saber
Noético e oculto
Visível e racional
Nos órficos portais da realidade
Onde sapiente a palavra se oculta
E as esferas da realidade se movem tranquilas
Discretas e serenamente sensoriais
Num simples e claro acolhimento
Duma folha leve e livre

EM - OURO DA PENUMBRA - CRISTINA LOPES - CHIADO EDITORA

Canto quinto - ORLANDO NESPERAL

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

1

Tempo negro de qualquer nação,
É quando outra a ambiciona,
Usa uma estranha formação,
Para alcançar a outra pressiona.
Organiza uma subtileza condição,
Sem respeito, subjuga e condiciona.
Impor um bloqueio, com Portugal,
Ficando conhecido pelo Continental.

EM - A ILUCASTANA - ORLANDO NESPERAL - CHIADO EDITORA

Óbvios - PAULO DE CARVALHO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO AUTOR
Podem conhecer o autor neste link

(segundo segmento)

A cal perfil dos nobres esboços
Inversos lógicos de tuas argamassas
Amargas argilas teus fossos
Emboços alvos assentados torpor.

       No morto dos mares
       Entorpecem Lugares

Obséquios de tuas messes fartas
Ferem-me espinhas dorsais sequelas
Das celas do pão e do peixe sobeja
Barros vermelhos nas ceias cadeias.

       Doe-me antes a poesia
       Lugares Verbos vertentes

Óbvios... Tão dissimuladamente óbvios
A instarem dores enxofres ardores lagos
Rasos profetas panfletos apócrifos
Luzeiros das praças esgares pregares.

       Louva-te em diatribes dominicais
       Púlpitos de si simulacros sacros

Óbvios... Sempiternos pregadores de óbvios
Homilias das dores paixão de si mesmos
Perpetuam-nas em meritórios óbolos obras
Portentosos senhores, penhores pretores.

EM - KYRIE - PAULO DE CARVALHO - BIBLIOTECA 24X7