Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Ruídos da alma - TELMA ESTEVÃO

Diz-me alma inquieta
porque tens sede de infinito?

Porque vais colhendo cores e formas
respirando lembranças e desejos
florescendo com palavras
e voando em espasmos constantemente?

Diz-me alma perturbada
porque te embriagas e gritas sílabas de prazer?

Ah! Pudesses tu ter pétalas
aveludadas, suaves e delicadas
encantar com a tua feição de menina

Desenhar poemas perfumados
e bem perto do ouvido
ouvir o ruído e o sorriso
dos sonhos ao anoitecer

Ah! Triste alma
órfã de tantos sonhos suspensos

EM - A ESSÊNCIA DOS SENTIDOS II - ANTOLOGIA - EDIÇÕES OZ

2 comentários:

  1. Há poemas que nos embalam, e nos consolam. Será?
    Grata.

    ResponderEliminar
  2. Outro belo poema, É bom ler quando sentimos a fragrância das palavras a entrar serenamente dentro de nós. Parabéns à Poeta.

    ResponderEliminar