Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Súbita e clara - FIAMA HASSE PAIS BRANDÃO


A lua poucas vezes tem manchado
este rectângulo branco. Agora
é alvinitente. talvez sedosa
se se pudesse tocar com a polpa
dos dedos o alto monte.

Estremece quando as árvores
a prendem. Quando se afasta
do mar sereno brilha
sobre as terras agitadas.

No fim do atalho ela é a
ideia mais súbita e mais clara
que eu conheço. Está a estender
as linhas brancas do seu rasto.

EM - ÂMAGO - FIAMA HASSE PAIS BRANDÃO - ASSÍRIO & ALVIM

1 comentário:

  1. Não deixa de ser recorrente, na posiaa lírica o tema dav "lua"... Mais um belo poema.

    ResponderEliminar