Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Cair da noite - RUI KNOPFLI


Ao cair da noite, no declive que leva
a Estrada do Zixaxa ao Largo do Xipamanine,
o ar empregna-se do cheiro enjoativo
ao o'canhe que fermenta nas latas, sem que
a teimosia do cachimbo friorento o dissipe.

Virão as bebedeiras, cantigas, imprecações,
a ocasional briga, sem consequências que o sono
não cure. A humidade empresta um brilho
ao asfalto precário, onde as estrelas
do sul insistem cintilar. Cumpridor,

Ernesto acabou o jantar dos patrões
(sopa de legumes, peixe-serra frito
com arroz de tomate) e desce a escada
rumo ao seu refúgio, Aí irá fumar
a seruma do esquecimento. Ao cair da noite.

EM - O MONHÉ DAS COBRAS - RUI KNOPFLI - CAMINHO

Sem comentários:

Enviar um comentário