Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Alvorada II - DOMINGOS MONTEIRO

Vai para os campos, para trabalhar,
Que já nasceu o dia, o cavador,
Levando n'alma a mansidão do lar,
Da madrugada ao cândido palor.

A luz parece um trémulo luar
De beleza balsâmica e d'amor.
E ao longe os pinheirais a murmurar
Soltam cantigas d'amargura e dor.

Pla estrada coleante, de longada,
Uns bois vão a passar, com a carrada,
Num clamoroso anunciar da vida.

E no cimo do monte verdejante,
Num lampejo de luz, esfuziante,
A branquejar ao sol, vê-se uma ermida.

EM - POESIA - DOMINGOS MONTEIRO - INCM

Sem comentários:

Enviar um comentário