Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

domingo, 22 de julho de 2018

como um sonho na noite, o poema maldito - ALVARO GIESTA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR
Saibam do autor neste link

ele via na noite - nela circulava
como se fosse um arco,
daqueles tocados na rua pela riqueza sonhadora
dum menino pobre.

a noite fazia com ele o arco da melancolia.

e corria na noite - na sua noite
e na sua loucura - as lunáticas meditações
da sua sintaxe
na busca da fonte
em que persistia matar a sede da morte,
que lhe rondava perto as fraquezas da vida.

meditava...
meditava enquanto no lento leito da vida
a morte escrevia devagar o seu curso.

- o pensamento feito de profundas meditações.

riscava a dor no quadro negro da noite
em que escrevia como se fosse um arco,
como o arco dos lábios quando desassossegados
perdem o beijar.

ele via na noite a sua tardia cegueira!

na lenta passagem da noite
como um cego quando nela imagina o dia,
sonhava o voo e interrogava-se
nessa luciferina visão, se o sonho
(dum cego assim) pode ter algum sentido.

EM - O PRANTO DOS LOUCOS LÚCIDOS - ALVARO GIESTA - TEMAS ORIGINAIS

1 comentário:

  1. Um poema enigmático, mas não deixa de ser sensual.
    A noite era sempre a autora dos seus pensamentos...

    ResponderEliminar