Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Cais do meu desencanto - ISABEL BASTOS NUNES

No empedrado agreste
Do Cais do meu desencanto
A tempestade me espera
Tão negra como o meu pranto.

Tempo de espera desassossegado,
A angústia que me toma
Neste Cais desolado,
Porque não sei se chegas, se partes, se ficas,
Tal como raio em Céu revoltado.

E as ondas que batem
Na pedra fria do Cais
Nada me dizem
Nem para onde vais.

E as nuvens espessas
E o mar agitado
Quebrou o quebranto
Daquele que era
O Cais do meu desencanto.

EM - TOCA A ESCREVER - ANTOLOGIA - IN-FINITA

1 comentário:

  1. Depois de tantas dúvidas," as nuvens espessas e o mar agitado/Quebrou o quebranto/ ..../O Cais do meu desencanto.
    Perante este fim ,parece que tudo acabou em bem .

    ResponderEliminar