Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Galiza eram - MANUEL MIRAGAIA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Galiza eram as terras.
Galiza, as aldeias.

Galiza eram as fragas
em que há ventos que gelam.
Também, carros de vacas
e os labregos com elas.

Galiza eram crianças
que aos seus pais fora lembram,
crianças que medraram
para gadanharem a erva.

Galiza era patacas.
Comum era a colheita.
Patacas dos suores
das mulheres galegas.

Galiza eram os lares
que os caciques espreitam.
As noites junto ao lume
com as meigas na noitebra.

Galiza eram palavras
que brotavam das eiras,
vocábulos formosos,
bons para as nossas ideias.

Tudo mudou com os anos,
gentes e natureza.
E o que é Galiza agora?
Intenção ou quimera?

Galiza eram aldeias.
Agora, incerteza.

EM - GALEGUIA - MANUEL MIRAGAIA - CHIADO EDITORA

Sem comentários:

Enviar um comentário