Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Morro em todas as horas - JOSÉ ILÍDIO TORRES

Acordei morto e nada tinha mudado
Fazia-se a guerra a meus pés
Ninguém sabia quem me tinha matado

Ainda perguntei se não seria o caso
De ser eu mais um soldado desconhecido
Na árvore do destino um fruto do acaso

Mas ninguém me respondeu
Nem o homem que penso que sou
Nem aquele que em mim morreu

Por isso cultivo palavras como punhais
E trago o léxico todo esventrado
De histórias que me são letais

Morto vivo noutro alojado em mim
Amanhã não acordarei, já decidi
E um eu verdadeiro nascerá por fim

EM - OS POEMAS NÃO SE SERVEM FRIOS - JOSÉ ILÍDIO TORRES - TEMAS ORIGINAIS

Sem comentários:

Enviar um comentário