Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

domingo, 19 de julho de 2015

Minha tão breve mãe - JOAQUIM PESSOA

Eu já morri     amiga     eu já morri
nas margens do meu tejo de amargura.
De tudo o que foi vivo e que eu vivi
ficou     feita de sal     esta lonjura.

Ó mãe! Raiz da força que eu quisera.
Minha tão breve mãe. Ó meu abraço!
Onde é que eu amanheço? Ah quem pudera
fazer comigo o que eu apenas faço.

Ai minha mãe de frios e basaltos.
Esta hora é de dor. De sobressaltos.
Vem cantar-me baixinho outra cantiga.

Vem dizer que é mentira. Que estou vivo.
Que não adormeci. Nem sou cativo.
Vem parir-me de novo querida amiga!

EM - 125 POEMAS - JOAQUIM PESSOA - LITEXA

Sem comentários:

Enviar um comentário