Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Invocação ao fogo - JAIME CORTESÃO

Fogo dos altos, solitários sóis,
Que tudo ao teu contacto transfiguras,
Por ti ardem os génios e os heróis,
Crepita a noite eterna em chamas puras;

Lepra do inferno, no que dás corróis;
Raio, fulminas quanto mais fulguras,
Tanto mais brilhas, quanto mais destróis;
Lavras, tudo devoras... mas perduras!

Valmiki, Homero, Byron ou Camões!...
Desse holocausto, onde se perde o fumo?!
Que sopro ateia os fúlgidos clarões?!

Fogo, que animas sempre a chama clara,
Envolve-me também no ardente rumo,
Devora-me, que eu subo à pedra d'ara!

EM - POESIA - JAIME CORTESÃO - INCM

Sem comentários:

Enviar um comentário