Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sábado, 26 de abril de 2014

A batalha de Alcácer Quibir - MANUEL ALEGRE

As armas ferem de morte o cavalo branco
e caem as armas do rei no branco areal.
Sob as armas que o ferem o cavalo branco
cai por cima das armas vencidas do rei.
E há uma rosa de sangue no branco areal.

As armas ferem de morte as armas do rei.
Cai o cavalo branco no branco areal.
Sob as armas que as ferem as armas do rei
caem vencidas por baixo do cavalo branco.
E há uma rosa no branco do areal de sangue.

As armas ferem de morte as armas e o branco
do rei do cavalo que caem no branco areal.
Sob as armas que os ferem as armas e o branco
caem vencidos por cima do rei debaixo do cavalo.
E há uma rosa no sangue do areal de branco.

Na rosa de sangue das armas vencidas
que caem no branco do branco areal
sob as armas que ferem é mais do que um rei
quem assim cai. É mais do que um cavalo branco:
quem assim cai vencido é Portugal.

EM - POESIA - MANUEL ALEGRE - DOM QUIXOTE

Sem comentários:

Enviar um comentário