Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Os meus versos - FLORBELA ESPANCA

Rasga esses versos que eu te fiz, Amor!
Deita-os ao nada, ao pó, ao esquecimento,
Que a cinza os cubra, que os arraste o vento,
Que a tempestade os leve aonde for!

Rasga-os na mente, se os souberes de cor,
Que volte ao nada o nada de um momento!
Julguei-me grande pelo sentimento,
E pelo orgulho ainda sou maior!...

Tanto verso já disse o que eu sonhei!
Tantos penaram já o que eu penei!
Asas que passam, todo o mundo as sente...

Rasgas os meus versos... Pobre endoidecida!
Como se um grande amor cá nesta vida
Não fosse o mesmo amor de toda a gente!...

EM - SONETOS - FLORBELA ESPANCA - BERTRAND

2 comentários:

  1. Aprecio esta Poetisa do séc.XX, louvada a nível nacional , no ano passado, creio, em Matosinhos.
    Teve a vida que escolheu, exprime na sua poesia os seu.s estados de amor.
    Eu não tenho nada a rasgar ...nunca fui fonte de inspiração para poetas...escusado será sujeitar-me a mais interrogatórios...O que conservo é da minha lavra. nada que me tivesse dedicado. Não me alongo, quero paz entre todas.
    Grata e apreciei este soneto

    ResponderEliminar