Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Bocas roxas de vinho* - RICARDO REIS**


Bocas roxas de vinho,
testas brancas sob rosas,
nus, brancos antebraços
deixados sobre a mesa:

Tal seja, Lídia, o quadro
em que fiquemos, mudos,
eternamente inscritos
na consciência dos deuses.

Antes isto que a vida
como os homens a vivem,
cheia da negra poeira
que erguem das estradas.

Só os deuses socorrem
com o seu exemplo aqueles
que nada mais pretendem
que ir no rio das cousas.

EM - POESIA - RICARDO REIS - ASSÍRIO & ALVIM

* Usei o 1º verso como titulo por questões logísticas
** Ricardo Reis é um dos heterónimos de Fernando Pessoa

1 comentário:

  1. As Odes de Ricardo Reis são um dos meus livros de "cabeceira" e perante este que me foi lançado eu contraponho com um, cujo começo : "Tirem-me os deuses ...O Amor,glória e riqueza./Tirem mas deixem-me,deixem-me apenas/ A consciência lúcida e solene /Das coisas e dos seres.(...)A riqueza é um metal, a glória é um eco /E o amor uma sombra".
    Qual deles será o melhor?

    Que relação haverá entre os dois?

    ResponderEliminar