Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Ao longe - PAULO GOMES

Ao longe um barco navegando
Até onde minha vista alcança
Vejo as fortes ondas bailando
Quero esta imagem como lembrança

Ao longe as gaivotas voando
Como se estivessem a bailar
Os peixinhos procurando
Para se poderem alimentar

Ao longe vejo uma ponte imponente
Ligando entre si as duas margens
Fazendo o meu inconsciente
Desejar voar fazer lindas viagens

Ao longe o horizonte muito distante
Separado por este rio de água turbulenta
A água beija as margens como uma amante
Com carinho comendo a areia suculenta

Ao longe vejo uns patos mergulhando
De repente levantam voo de seguida
São imensos e voam todos em bando
Fiquei a olhar o céu de cabeça erguida

Desejando os meus pés do chão levantar
Sim neste momento, mesmo agora
Para que as nuvens brancas pudesse voar
Livre sem compromissos, sem tempo nem hora

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

Sem comentários:

Enviar um comentário