Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Ouve, vê e cala - D. JOÃO MANUEL

Detalhes do LivroAntologia Do Cancioneiro Geral
Ouve, vê e cala,
e viverás vida folgada:
tua porta cerrarás,
teu vizinho louvarás,
quanto podes não farás,
quanto sabes não dirás,
quanto vês não julgarás,
quanto ouves não crerás,
se quiseres viver em paz.
Seis cousas sempre vê
quando falares, te mando:
de quem falas, onde e quê,
e a quem, como e quando;
nunca fies nem perfies
nem a outro injuries;
não estês muito na praça
nem te rias de quem passa;
seja teu tudo o que vestes,
a ribaldos não doestes;
não cavalgarás em potro,
nem ta mulher gabes a outro;
não cures de ser picão
nem travar contra razão.
Assi lograrás tas cãs
com tuas queixadas sãs.

EM - CANCIONEIRO GERAL - ANTOLOGIA - VERBO

1 comentário:

  1. Bons conselhos,estes! Estão inseridos num contexto da época e ainda têm vigor,porém nem sempre podem ser seguidos à risca.
    Procura-se o razoável, penso eu
    Gostei de reflectir e agradeço.

    ResponderEliminar