Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Pulsar - ANA CASANOVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Beija-me!
Quero sentir o teu gosto,
navegar no teu mar,
inebriar-me com o teu perfume,
arrepiar-me com o teu tocar!
Beija-me!
Faz-me sentir mulher,
terra molhada em dia de chuva,
mar revolto em dia de tempestade,
enredada pelo teu olhar!
Beija-me!
Faz-me pulsar!

EM - ABSINTO DE OUSADIAS - ANA CASANOVA - EDIÇÃO DE AUTOR

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Ergueu-se - MARIA GOMES

Levanto da palavra, que me ecoa!
E faz a mossa com mais história
Em dia d'alucinação, ou glória,
Onde na voz dum poeta que entoa.

E com palavras mudas não se doa
E com lutas vãs, não há vitória,
Que perdure na nossa memória
E no tempo sadio que não perdoa.

Repara, deslumbra tudo que vem,
A ganhar mais tempo na batalha
Oscilam os astros c'a vida tem.

Coitado de quem tanto trabalha
Anda na calha na garra de quem,
Ergue sem esforços, a sua muralha.

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Mulheres - EMANUEL LOMELINO

Mulheres que na vida conheci
e atravessaram o meu caminho
por todas sinto eterno carinho
por conhecê-las... eu enriqueci.

Mulheres que jamais esqueci
e nunca me deixaram sozinho
por algumas tive um fraquinho
mas por todas... amor eu senti.

Mulheres que geraram o mundo
fontes de amor, vida e criação
convosco fica meu pensamento.

Sou vosso admirador profundo
adoro-vos no extremo da paixão
na pureza deste nobre sentimento.

EM - IMPULSAÇÕES - EMANUEL LOMELINO - CHIADO EDITORA

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Ventanias amantes - JOSÉ ANTUNES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Duas ventanias no chão
a brincar um luar
com a sua expressão
Ah! esse riso garoto
tão fácil de amar
... e a noite noivada de desejos
suspirou por ela.

Duas ventanias no capim
a fazerem ventinhos
chilreiam em mi
- são rosas, são carinhos
que colho da sua indiferença.

...Ó linda,
que pena tenho eu de em ti
não amanhecer,
logo eu, linda
que sou doido por te olhar!...

EM - NUANCES DE UM SILÊNCIO A DOIS - ANA COELHO/JOSÉ ANTUNES - EDITA-ME

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Decifra-me - VERA SOUSA SILVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Que importa meu rosto
se é nas palavras
que me encontras?

Que importa meu corpo
se é nos versos
que me revelo?

Decifra-me num Poema
e encontra-me por aí...

EM - BIPOLARIDADES - VERA SOUSA SILVA - LUA DE MARFIM

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O vinho - JOSÉ ROCHA

Quando a vindima de faz
De seguida é pisado
Não há uvas boas ou más
Já tem o destino traçado.

Vai para os cascos cozer
Parte arcos e aduelas
Quando está pronto a beber
Pois aí é que são elas!

É servido em restaurantes,
Ao Homem causa receio
em momentos inconstantes,
Branco ou tinto? Cheio!!!...

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

domingo, 25 de janeiro de 2015

Dia 266 - JOAQUIM PESSOA

O gato papa-açorda e paposseco
foi visto na janela da vizinha
com novelos de sol num reco-reco
tricotando poemas de lãzinha.

Lambusando palavras com ternura
miando carapaus de quatro sílabas,
saltou do parapeito à aventura
para tomar o chá em mesa de abas.

Ficou-lhe outro soneto por achar
(aquele que por causa do mianço
nem sete vidas dão para acabar).

Há-de o bicho tornar-se manipanço
e quanto mais o tempo se mudar
mais vontade lhe vem de ficar manso.

EM - ANO COMUM - JOAQUIM PESSOA - EDIÇÕES ESGOTADAS

sábado, 24 de janeiro de 2015

Olhares - ANA COELHO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Os teus olhos
confessam o amor nos meus,
num tempo sem enganos
que nos ensinou os dramas
da vida...

Num cruzar
de novo o olhar...
avisto a nossa essência
na tua retina
brilhante no manto
que por ela corre.

Nesta teia de olhares mudos
trocamos promessas
de amor eterno,
sem medo de amar.

EM - NUANCES DE UM SILÊNCIO A DOIS - ANA COELHO/JOSÉ ANTUNES - EDITA-ME

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Amanhecer - CRISTINA PINHEIRO MOITA

Quem grita é poeta, será verdade?
Estrela mãe ao acordar do seu nascer
A vida passa não perdoa na idade
Que liberdade será esta até morrer?

Eles têm muito, alguns trocos de prazer?
Falam os cravos nascidos na mocidade
Que só o homem dá à boca o que comer
Palavra já gasta em sufoco, é a verdade?

Se a encontrarem vão saber amanhecer.
Latifundiários do produto e da maldade
Cravam os dentes neste povo a sofrer.

Abram caminhos e na pedra da saudade
Escrevam as letras das flores a reerguer
Mas sejam homens, e poetas por prazer.

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

L - FRANCISCO VALVERDE ARSÉNIO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Sabem-me a ti os beijos de lábios abertos dados em mim... e nos dedos que desbravam as folhas dum livro primeiro, o calor que emerge das palavras desprendidas na passagem dos olhos tempera cada batimento do coração. Estendo-te a mão... falta-me a tua mão.

EM - CIDADE EMPRESTADA - FRANCISCO VALVERDE ARSÉNIO - UNIVERSUS

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Hoje acordei conflituosa - GRAÇA PIRES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Hoje acordei conflituosa.
Provocadora, talvez.
Um lenço de seda (ou uma ave?)
cerca-me o pescoço; reajusta
o decote da blusa ao esboço dos seios;
roça, no contorno dos ombros,
a tatuagem, quase invisível, dos sentidos.
Lá fora, a chuva cai. Tão devagar que faz sede.

EM - POEMAS ESCOLHIDOS 1990-2011 - GRAÇA PIRES - EDIÇÃO DE AUTOR

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Vida - FERNANDO JORGE BENEVIDES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR

A vida reserva-nos tantas surpresas
e eu acredito que nada é impossível

Sei que por vezes
a vida prega-nos algumas partidas
e outras tantas situações bem diferentes
chegadas, idas e partidas
tudo dependendo da perspectiva

Aos poucos e poucos
as revelações vão sendo feitas
num tempo atemporal como acredito
e também acredito, que tudo em ti
é possível num lugar
sem lugar definido.

EM - VÉRTICES - FERNANDO JORGE BENEVIDES - EDIÇÕES OZ

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Poema decantado - ALEXANDRE CARVALHO

Há por aí muitos escritos
Que não são branco nem preto
Nem cheiram a palheto
E têm pouco de rabiscos

Outros versejam em escritura
Misturando morangueiro
Sem os solfejos na partitura
Como poeta sem dinheiro

Poesia sem alegria etílica
Versos destilados sem alambique
Gregorianos fora da Basílica

Vai haver quem me critique
Nesta eclética agonística
Nunca o poeta se prejudique

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

domingo, 18 de janeiro de 2015

Noite amargurada - DINA GUERREIRO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Muitos pensam que o Natal é apenas alegria:
Receber presentes, estar com a família...
Mas para mim é diferente,
Pois foi no Natal que eu perdi a minha tia.
Era suposto ser noite abençoada.
Porém, foi noite amargurada.
Nunca mais essa noite esquecerei.
Todos os Natais à mesa há um lugar vazio...
Não foi bem isto que eu sonhei...
Nunca a irei esquecer.
Desde aquela noite, o Natal nunca mais foi igual.

EM - LUGARES E PALAVRAS DE NATAL - COLECTÂNEA - LUGAR DA PALAVRA

sábado, 17 de janeiro de 2015

Praia - CONCEIÇÃO CARRAÇA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Que arrepio gostoso
O roçar dos lábios no corpo molhado
Esse beijo salgado é delicioso
De baixo do sol quente
Na areia molhada
No meio de tanta gente
Só nós!
Não existe mais nada
Só nós, o céu o mar a minha e a tua voz
Os corpos seminus na areia molhada
Esquecidos do mundo
Dormindo de mão dada
Debaixo do sol quente
Uma onda atrevida
Acorda-nos de repente!
Mas continuamos sós
No meio de tanta gente

EM - A ESSÊNCIA DOS SENTIDOS III VOL I - ANTOLOGIA - EDIÇÕES OZ

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Escrevo-te - RAÚL FERRÃO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Escrevo-te com as palavras do sentir,
que pouco mais sei escrever e porque é essa
a minha melhor forma de exprimir
as emoções de quem vive o que confessa.

Sem te escrever não me conhecerias
ou poderias sequer saber que existo.
E é nas palavras confessas que avalias
este querer profundo a que não resisto.

Se as palavras não chegarem para sorrires,
que eu seja vento, ou Sol, ou chama.
Que te sopre aos ouvidos para as ouvires
e te aqueça a alma com o fogo de quem ama.

EM - AMANTES DA POESIA - ANTOLOGIA - UNIVERSUS

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Alegrete - VÍTOR CINTRA

Num tempo, que se perde na distância,
Da h'stória dos antigos Lusitanos,
Já tinhas estratégica importância,
Por isso, te ocuparam os Romanos.

Mas Roma, mergulhada em arrogância,
Cedeu, perante Vândalos e Alanos,
Que em ti viveram tempos de abundância,
Até às invasões dos Muçulmanos.

Ergueram-te, passados poucos anos,
Muralhas, que ganharam relevância
Perante o rei cristão, na sua ânsia.

Mais tarde, resistindo aos Castelhanos,
Soubeste defender os soberanos
Valores, com argúcia e vigilância.

EM - NO CREPÚSCULO DAS AMEIAS - VÍTOR CINTRA - LUA DE MARFIM

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Abraçada a ti - ALICE SANTOS

Fazer amor contigo,
Ficar toda a noite abraçada a ti.
Olhar o teu rosto calmo e sereno
Enquanto dormias,
E continuar abraçada a ti.
Beijar-te ao de leve para não te acordar,
Ouvir o teu respirar,
E estar abraçada a ti.
Sentir o perfume da tua pele suada de amor,
O teu corpo quente e delicioso encostado ao meu,
E continuar abraçada a ti.
Não quis adormecer,
Para poder viver,
Cada segundo,
Cada momento,
Sempre abraçada a ti.

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Hálitos - ÂNGEL MAGALHÃES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Bocas que se esgotam
em palavras
suspiros,
hálitos que se demoram
na sensação de roubos
noites a créditos
viagens que se exploram
se pagam em indecentes gozos
caução de meu prazer
onde me perco em censuras
alimento fugaz de meu corpo
na cama cúmplice de minha loucura.

EM - PECADOS - NAS ASAS DO DESEJO - ÂNGEL MAGALHÃES - EDIÇÕES OZ

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Além do tempo - MARIA AMÁLIA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Forte lembrança que me corrói
Desapego, longura, mas
A saudade em mim perdura
E dói, oh como dói...
Comigo vai ficar
Além do tempo, além da vida,
Além da morte...
Que possa bafejar-te a sorte
Rodear-te destemida
Acredito no teu abraço forte
Talvez, na última despedida...

EM - MISTO DE SENTIMENTOS - MARIA AMÁLIA - EDIÇÕES OZ

domingo, 11 de janeiro de 2015

A noite fria,... - SÃO GONÇALVES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

A noite fria, despida de enfeites
o medo no canto da boca
a ternura escondida
dentro de uma bolsa
de temores.

O frio cortando o corpo
um golpe fino de desespero
o desencanto partilhado
nas bermas
geladas.

A fome que espreita
o doce amargo da vida
o licor que transborda
das janelas iluminadas.

O presente do mundo!
O natal dos mendigos!

EM - LUGARES E PALAVRAS DE NATAL - ANTOLOGIA - LUGAR DA PALAVRA

sábado, 10 de janeiro de 2015

Sombras da saudade - ANA CASANOVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Tempo do cheiro a derrota
em que o sol se deixa morrer
e o desespero tem o peso de uma montanha

Sensação de agonia e sufoco
que se cravam na minha pele e no meu coração
inundado de reminiscências.

São saudades da terra que Deus e a geografia abençoaram
Angústia do tempo que falta para o retorno
Amor Eterno!

EM - TERRA VERMELHA - ANA CASANOVA - EDIÇÃO DE AUTOR

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

O futuro das palavras - JACQUELINE AISENMAN

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Quais serão um dia
as minhas últimas
palavras?
Serão as que direi
por último...
As que deixarei
escritas
ou aquelas que 
nunca 
conseguirei dizer?

EM - POESIA NOS BOLSOS - JACQUELINE AISENMAN - DESIGN EDITORA

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Tons pastel - SARA TIMÓTEO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Tudo na tua vida
é pintado em tons pastel.
É de bom tom a madeixa escurecida
e uma emoção, mesmo que fingida,
à flor da pele.

Nasceste para a absoluta
vulgaridade.
Consomes palavras de fúria e de luta
como brinquedos de riso
e depois dizes
desejar a igualdade.

EM - ELIXIR VITAE - SARA TIMÓTEO - LUA DE MARFIM

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Meretrizes - JOSÉ ANTUNES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Andam pálidas pelas ruas
as almas das meretrizes,
vão nuas, as vergonhas suas
apedrejadas pelas vielas
sofrem no tecto do mundo
e à noite choram as luas
saudades varinas e horas lindas.

Sobre os brados da memória
correm sonhos enclaves de sol sós
sustidos com a força de dó...
andam sombras perdidas dos passos
são mulheres, outras meninas,
e todas são ninguém...
... Ninguém que magoa
ao sentir-se assim, entre silêncios
e esquecimentos,
como andarilhos velhacos
de todo o pensamento.

EM - NUANCES DE UM SILÊNCIO A DOIS - ANA COELHO/JOSÉ ANTUNES - EDITA-ME

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Teus cabelos brancos desgrenhados - FILOMENA BORGES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Teus cabelos brancos desgrenhados
que fazem pensar na tempestade
dizem-me que agora és velha...
não gostas da palavra, bem o sei
mas será que não podes ter vaidade
todos esses anos já passados?
Minha querida, a vida é complicada
mas tu soubeste vivê-la com coragem
será que não chega sentires-te amada
agora que estás no fim da viagem?
Tudo o que sou eu aprendi contigo
os meus valores as coisas que gosto
até ser amiga do meu amigo
ter a alegria estampada no rosto...
às vezes eu resmungo, Oh meu Deus
desdenho do que fazes, do que dizes...
é para isso que servem as mães...
mas não há amor, no mundo inteiro
que seja maior do que o de um filho
que fica à espera, sempre primeiro
que a mãe lhe faça um carinho
lhe ensine o trilho...
que um dia o há-de levar aos céus.
Obrigada, por tudo mãe querida
tu és o marco da minha vida!

EM - AMANTES DA POESIA - ANTOLOGIA - UNIVERSUS

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Sonata em lua cheia - ANA COELHO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Abraço o amor
Devagar
No sabor das horas...
Respiro o teu sono
Bebo o néctar doce
Do teu sonhar

Entrelaço os desejos
No quintal das emoções

Vagueio pelo teu corpo
No veludo da tez
Deslizo em espasmos
Ternos
Escuto o latejar do sangue

Por entre os teus ombros
sossega a minha cabeça

Convoco a tempestade aberta
Evolução de fulgor
Inventada neste louco amor

Sonata de lua cheia
Paixão com tempo
Sobre o meu regaço
Sem pressa...

EM - NUANCES DE UM SILÊNCIO A DOIS - ANA COELHO/JOSÉ ANTUNES - EDITA-ME

domingo, 4 de janeiro de 2015

Inocência de menino - MARIA ANTONIETA OLIVEIRA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Pezinhos descalços
caminham pela casa adormecida
Um sorriso matreiro
ilumina a carinha risonha do menino
Caminha devagar na pressa de encontrar
o Pai Natal distraído, de sacola às costas.
Inocência de menino feliz.

O homem das barbas brancas
trará o carro vermelho do Nody
e a gasolineira amarela
Vai trazer também aquele Lego
que estava na montra e o menino pediu
O homem de vermelho sabe os desejos
E vai realizá-los.

Os pezinhos caminham já frios
na esperança do sonho imaginado
Mas o homem da sacola já partiu
ou será que ainda não chegou?!
A árvore de Natal continua sozinha
até as luzes estão apagadas
O menino triste chora
Os passinhos de regresso ao quarto
são lentos.
inocência de menino infeliz.

EM - LUGARES E PALAVRAS DE NATAL III - ANTOLOGIA - LUGAR DA PALAVRA

sábado, 3 de janeiro de 2015

Ao longe - PAULO GOMES

Ao longe um barco navegando
Até onde minha vista alcança
Vejo as fortes ondas bailando
Quero esta imagem como lembrança

Ao longe as gaivotas voando
Como se estivessem a bailar
Os peixinhos procurando
Para se poderem alimentar

Ao longe vejo uma ponte imponente
Ligando entre si as duas margens
Fazendo o meu inconsciente
Desejar voar fazer lindas viagens

Ao longe o horizonte muito distante
Separado por este rio de água turbulenta
A água beija as margens como uma amante
Com carinho comendo a areia suculenta

Ao longe vejo uns patos mergulhando
De repente levantam voo de seguida
São imensos e voam todos em bando
Fiquei a olhar o céu de cabeça erguida

Desejando os meus pés do chão levantar
Sim neste momento, mesmo agora
Para que as nuvens brancas pudesse voar
Livre sem compromissos, sem tempo nem hora

EM - UNIVERSO DAS PALAVRAS - COLECTÂNEA - SINAPIS

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

O meu olhar de tanto mar* - LÍLIA TAVARES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

O meu olhar de tanto mar
fixou-se numa nuvem de vento.
Dispo-me de gaivotas
quando é o teu olhar com asas
que me solta e agarra,
pois dois sentidos moram
para além de nós,
nos habitam e esperam
sentados aos tropeções
dentro dos nossos corpos.
São aves de muitas ondas,
as que nos beijam.
A hora chegou com u seu gume.
Amor,
volto a partir com os ventos...

EM - PARTO COM OS VENTOS - LÍLIA TAVARES - KREAMUS

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Aspiração gigante - MÁRIO SAA

Ó sol global, bojante e subidor,
Cristal de luz, ó calidez de moiro,
Ó fluido sensual de magno alvor,
Ó sol real, canção de jorros d'oiro,
Universal, viril, mergulhador!
Ó meu abraço aberto, ardente e loiro,
Transformai-me em viola, ó minha estrela
Com zéfiros nas claves a tangê-la!

Lá tomba a noite e cavernosa grita
A estrelosa mansão, dossel real,
No firmamento grandemente inscrita!
- Ó noite, erguei meu voo à cinza astral,
Diadema a arder numa cabeça infinita!
Ó noite, erguei-me em luz, tornai-me igual
À rutilância intérmina dos céus,
Espalhai-me em lume, evaporai-me em Deus.

EM - POESIA E ALGUMA PROSA - MÁRIO SAA - INCM