Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Dança comigo - LIÈGE DE MELO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Ecos do Nordeste neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link


Dança comigo nesta noite fria,
          d a n ç a!
Para que possamos, assim aquecidos:
           iluminar este amor acinzentado
           escancarar todo riso contido
           assassinar o medo inebriado
           nos enlaçar como um encantado
           acalmar nossas almas crianças
E, em paz
ouvir o canto do vento
          que lá fora
                d a n ç a.

EM - ECOS DO NORDESTE - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Palavras - IRANILDO MACHADO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto conexões neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Palavras desatinas
Não querem dizer nada
Palavras são palavras
Divinas, sorrateiras
Puras e ladinas
Tal qual o timbre da voz
Na letra da canção
Toda musicalidade
Que expressa
E desarma a alma.
Palavras que tudo revelam
E ofuscam um olhar
Sem censura
Expõe no semblante
Um lamento
Um silêncio total nas ruas.
Palavras em verso e prosa
In(verso) as estrelas
Que toda noite
Querem sentir no luar
Uma inovadora sensação
Estrofes a mais
Num dia... há dias...!
Voz de você, mulher
Ecos no coração.
Palavras que tudo/nada me dizem
Adormeceram e acordaram em mim
Transbordaram-me alegria
Da terra que semeia o pão
A fome de meus irmãos
Meu pesar, minha agonia.
Palavras de oração
Escritas pelas mãos
Do sábio hábil poeta
Palavras em linha reta
Sólidas, singram em mim
Lançam o meu mundo obscuro
Distante do teu jardim.
Palavras de solidão
Dispersas na multidão
Mistérios que vem do mar
Escondem do pescador
As lágrimas do seu amor
Que ficaram por lá.
Palavras de todo um ensino
Um curioso sorriso de um menino
Herói, como Marcelino
Que nesta rima não entrou
Faltou em minha memória
O vinho daquela história
E a frase que celebrou.
Palavras são palavras
Esperadas como um sonho
Cheias de magia
Comum, de singular simetria
Prontas pro desabafo
Às vezes toda ironia!
Com im(perfeita) harmonia
Do que venha acontecer
– Todas estas, são palavras
Curtas, longas, abstratas...
De respostas in(exatas)
Que instigam meu por quê.

EM - CONEXÕES ATLÂNTICAS III - ANTOLOGIA - IN-FINITA

As estrelas - CARLA DE SÀ MORAIS

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA

Já alguma vez, durante a noite,
Olhaste para o céu?
E contemplaste todos aqueles
Pontinhos luminosos a brilhar?

São as Estrelas!

Sabes o que são?
Como nascem?
Os tamanhos que têm?

As Estrelas são corpos celestes
Com luz própria
Vivendo trilhões de anos

Elas nascem duma forma especial
Nuvens formadas de poeira e gás
Contraem-se e dão origem
A uma esfera inicial

Eis que nasce a protoestrela
Vai atingir uma temperatura
Muito alta, que aventura
E depois, transformar-se em Estrela

A constelação de Orion é uma região no espaço
De formação estelar
É considerada como um berçário de Estrelas
Que se deixa ver e observar

Existem Estrelas de várias cores
Vermelhas, amarelas, brancas e até azuis
As Estrelas que têm maior temperatura
São as brancas e as azuis

EM - VIA-LÁCTEA - CARLA DE SÀ MORAIS - HELVETIA EDITORA

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Poema inacabado - MARIA ANTONIETA OLIVEIRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Teu corpo de renda vestido
Em véus de tule alinhado
Com xaile de linho bordado
E luvas de pelica branca
É um hino de alegria
Num fado de doce magia
À alvura de um poema.
É dança de fogo ardente
É sol,
É lua,
É gente
É poema inacabado
Em corpo de renda vestido.

EM - OS SONS DO SILÊNCIO - MARIA ANTONIETA OLIVEIRA - IN-FINITA

Deus Pai - MARIA DA ESPERANÇA LOUREIRO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam da autora e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

Ó Deus Pai que me criaste
Diz-me quem foi ou é tua mãe
Gostava de a conhecer
E chamar-lhe avó também.

Também pai tens, ou tiveste
Meu avô é ou foi algum dia
Família no céu me deste
Que terei por companhia.

Meus pais da terra lá estão
E na vossa companhia
Sob a tua proteção
Eles já partiram um dia.

EM - OUTROS TONS DA MEMÓRIA - MARIA DA ESPERANÇA LOUREIRO - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Cuidando do jardim - LENILSON SILVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Ecos do Nordeste neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link


Vaidosa?
Cuidadosa com o jardim
Que fica no terraço
E tem outro no muro
E outro na varanda
Gosta de ver as borboletas chegando,
Pousando e levando o pólen,
Por isso esse cuidado intenso
Todo início da manhã e final da tarde é assim
Ela se levanta bem cedo
Ainda com roupa de dormir
Pega o regador e cuida
Toma o café vendo aquelas borboletas,
Mas sua família sempre se mudava
Ela ficava triste,
Porque cuidava tão bem do jardim,
O via florir e logo teria quer ir embora,
Mas um dia ela resolveu passear
Sim, por todas as ruas em que morou
Viu muitas das casas bem mais floridas
Mas outras não,
Ficou feliz pelos jardins que foram cultivados,
E esperançosa pelo pólen a ser multiplicado pela cidade.


EM - ECOS DO NORDESTE - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Teu sorriso - SUSANA PIRES

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam mais da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link


Brincou o sorriso
Perdidamente nas clarezas da fantasia

- Hoje -

Dia das passagens que levam os gestos para as margens inclinadas ao tempo

(que se saiba)

Nas dobras da memória
Onde os recantos dos lábios
Gesticulam à felicidade o atrevimento

- Naturalmente -

Enquanto os segundos não destapam os outros dias
Discretamente o Poeta
Já gesticulou.

O abraço do mundo
   
EM - MAR INTERIOR - SUSANA PIRES - IN-FINITA

Tédio - IRAN LOBATO DE ANDRADE

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto conexões neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Soneto Inglês alexandrino

Se teu olor vir no tédio que a mim se hospeda,
A saudade amiga vem morar comigo
Atenuando uma aflição que medra
E transforma em mel o travo do castigo.

Não crês se a ti confessar o infausto amigo
Que o fado da tua ausência ao tino enreda
Por termo aos meus ais sob um ermo jazigo,
Rendido ao peso do teu coração de pedra...

O meu penar é grave, igual um sino ao longe
Que tange o cavo réquiem do passamento,
E no passado tangeu o peito do monge
Que casto, enclausurou-se por teu encantamento.

- Então cismo, - por que afinal não me queres?...
- Quiçá ainda exista amor no coração das mulheres

EM - CONEXÕES ATLÂNTICAS III - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Há tanto de ti em mim - VÍTOR COSTEIRA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do autor neste link
Conheçam a In-Finita neste link


Há muito de ti
nos ocasos dos lírios
que perfumam o meu olhar
retido para além dos montes
onde o Sol se deita,
em previstas despedidas,
em antecipadas saudades despidas
do esperado inesperado…

Há muito de ti
nas amenas e longas sombras,
quando as verticais horas tardias
se deleitam no chão
e criam desafiantes figuras chinesas
por onde se mesclam, fantasia,
a confusa arte da certeza
e os passos seguros do fim do dia…

Há muito de ti
no imenso muito que tudo é,
mas há muito mais de ti
no que as minhas palavras
não sabem dizer, nem ser,
e eu parto para essa ternura,
para essa maravilhosa ventura
que é encontrar-te em mim e viver…

Há tanto de ti em mim
no agora que eu respiro de ti,
mas há muito mais de mim
esperando o que me falta de ti!


EM - POEMAS DE MEL E LIMÃO - VÍTOR COSTEIRA - IN-FINITA

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Mulher depois do naufrágio - CLEVANE PESSOA

Livro gentilmente cedido por Adriana Mayrinck

Ela se afogava, descendo ao mar abissal
de seus piores medos
depois de dourar-se ao sol da ilusão fugaz,
ardentemente a crer na cura da amorosidade
Arranhou-se nos corais, engoliu plâncton,
sufocou-se na esmeralda liquida das águas
completamente encantada, no entanto
com tudo que via em cada canto, num mar sem cantos.
Não temeu a moreia, a arraia, nada a assustava mais.
Flutuara ao lado dos tubarões, enquanto esperava
ser salva pelo golfinho ágil e forte
que escolhera dias antes.
Ele já se afastara e ela não percebera.
Vestida de água, entregou-se à deiade
da fortaleza feminina.
Parou de resistir e relaxou...

Deixou gelar-se o sangue onde nadavam
pequenos peixes de fé, desde a infância.
Quando estava inerte, olhos de pálpebras pesadas,
sem idade, sem sonhos,
o grave peso arrastando-a pela gravidade,
ouviu o som milenar salvador
e foi sendo levada por invisíveis  peixinhos
etéreos, determinados, salvadores
seus seios plectóricos flutuavam,
seus braços e pernas foram sustentados
não sabiam como nem por que.

Então, chegou à superfície.
Abriu bem os olhos para a luz solar.
Respirou profundamente,
expeliu detritos e algas.
Estava salva...
Outra vez, escutou e reconheceu o som
do golfinho brincalhão
e soltou uma risada.

Livre, enfim,
para re/viver.

EM - ELAS E AS LETRAS - ANTOLOGIA - EDIÇÃO DE AUTOR

Encontro - ANABELA SANTOS

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

A tarde a chegar
Estava escuro
Te avistei e sorri
Me deste um aceno
Em tua direção andei
Com um beijo cumprimentei
Fiquei corada
Era a minha timidez e
Pensei
Porque só agora te encontrei
Como seria tão diferente
Sem mágoas no coração
Sem dor e sofrimento
Mas foi agora que te encontrei
Meu coração sorrio
Com a ilusão de ser amado
Ao te ter encontrado.

EM - DEIXEI O CORAÇÃO FALAR - ANABELA SANTOS - IN-FINITA

Anestesia - LENILSON SILVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Ecos do Nordeste neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link


Cuide logo
Estanca
Grite mesmo
Mais alto!
Não deixe o tempo passar
Continue estancando
Sinta essa dor
Proteja-se
Mas deixe o tempo passar
Volto a dizer:
Não deixe o tempo passar
Controverso, não é?
Por que assim?
Porque o tempo é capaz de curar
Capaz de ensinar
Não precisa de nenhuma anestesia agora
Não esqueça
Tens que sentir essa dor
Chega de anestesia!
Não quero cometer o mesmo erro
Sentir essa dor novamente
Mas poder aprender com ela
Para que as dores futuras
Sejam apenas olhos ardendo lágrimas de felicidade.


EM - ECOS DO NORDESTE - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Madalena e seus arquétipos V - MANOEL DIAS DA FONSECA NETO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO AUTOR

Apóstola dos apóstolos proclamada,
Ao ter do Cristo a revelação,
Que a morte, pelo amor, é derrotada,
E se anuncia em Ressurreição.

EM - MADALENA E O SAGRADO FEMININO - MANOEL DIAS DA FONSECA NETO - EXPRESSÃO GRÁFICA E EDITORA LDA

Lua dos meus encantos - IRAN LOBATO DE ANDRADE

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto conexões neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Ah lua de andar lento que no éter clareia,
Camélia prateada e luz que me insinuam
Anelos de amores que no céu flutuam
Nas rimas dos meus versos quando és nova e cheia.

Ah lua que no alto despida passeias
Exibindo a todos tua face nua
E não percebes, ó despudorada lua,
Meus ciúmes as insólitas visões alheias.

Ah lua nova, e cheia de fazes vulgares
Feita amantes nas esquinas sem pudores.
A induzir incautos com falsos glamoures...

Com tua nudez que é a razão dos meus males,
No átrio do universo a escutar meus cantos,
Afaga com teus beijos meus cabelos brancos.

EM - CONEXÕES ATLÂNTICAS III - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Verão - PEDRO CALDEIRA SANTOS

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR

Não vou buscar silêncios
Onde não existem
Nem secar desertos
Onde o verde da esperança possa perdurar

Prefiro a areia da praia
O ruído do mar
E o olhar as ondas
A envolverem-te o corpo
Mesmo que estejas onde não te possa tocar.

EM - LAVA - PEDRO CALDEIRA SANTOS - MP EDITORA

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Aqui me deito - ISABEL BASTOS NUNES

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam mais da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Aqui me deito,
No frio colchão do meu leito,
Aqui guardo os meus sonhos
Líbidos desejos, do meu corpo insatisfeito.

Aqui me deito,
Onde a minha alma se funde
E as recordações se prendem
Como se fossem amantes eternas.

Aqui me deito,
Por detrás da noite intemporal,
No desfilar de parcas quimeras
Como marcha lenta e fatal.

Aqui me deito,
Neste leito que já não conheço,
Onde vidas tiveram princípio
E foram partidas sem regresso.

Aqui me deito,
À espera das madrugadas
Enfeitadas de estrelas doiradas
Na imensidão do azul das vidas

Aqui me deito,
No desejo de sair de mim,
Rasgando as brancas vestes do tempo
Das solidões, das saudades e dos desalentos.

Aqui me deito,
Mas não me deixo ficar aqui!

EM - À PROCURA DE MIM - ISABEL BASTOS NUNES - IN-FINITA

O herói que cresceu - LEANDRO VAZ

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto Ecos do Nordeste neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link


Que dirá a estrada
Quando não troar os cascos
Do cavalo de sonhos?
Que dirá a espada
O escudo e a velha armadura
No tempo esquecidos
Com seu herói
Sem poder lutar

Falaram os dias
De batalhas lendárias
Que a infância guardou
Com o herói perdido
Sem tempo, sem memória
Contando as cotas, as contas
Da sua labuta

Só dirá a lembrança
Com ela guardada as historias
Das batalhas vencidas
Do herói que cresceu


EM - ECOS DO NORDESTE - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Luzia - MANOEL DIAS DA FONSECA NETO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO AUTOR

Luzia iniciou sua jornada,
a primeira mulher de nossa terra,
em Minas onde ergueu a fronte ousada,
corpo pequeno e mente, agora, eterna.

A primitiva vida atormentada,
sua primeira morada uma caverna.
Será que a protegia alguma fada?
Alguma deusa a olhava, terna?

Que perigos enfrentou em sua lida,
pois morreu jovem, vinte e poucos anos,
talvez por feroz tigre bem ferida.

A flor da luz de suas mãos nascia,
pois proteger seu grupo eram seus planos,
quando o fogo na noite reluzia!

EM - BENDITAS & GUERREIRAS - MANOEL DIAS DA FONSECA NETO - EXPRESSÃO GRÁFICA E EDITORA LDA

Boi, boi, boi, boi da cara preta - IRAN LOBATO DE ANDRADE

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR IN-FINITA
Saibam mais do projecto conexões neste link
Conheçam a IN-FINITA neste link

Para minha neta Ana Luiza

Ser avô vai além de um coração valente.
Cabe-me o ofício de te ninar
Nas rimas que o estro às deixem poetar
As canções do passado que minh’alma sente.

Quiçá meus versos fossem flores, de repente
A envolverem em um manto a perfumar
E o som do violão nostálgico a tocar
Quando dormes o teu sono inocente...

Dorme, que a caminhada será aguerrida
Para alcançar o cobiçado encanto
Da coroa de louro ou palma de acanto...

E ao ver-te assim formosa e adormecida
Quisera eu saber se os sonhos teus
Foram os mesmos, quando na infância, os meus...

EM - CONEXÕES ATLÂNTICAS III - ANTOLOGIA - IN-FINITA

Entre um passo e outro passo - VERGÍLIO DE SENA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Saibam mais do autor e do livro neste link
Conheçam a editora neste link

Se entre um passo
e outro passo,
eu que passo
diante de um passo,
já não sei se passo
num passo
e outro passo,
em que passo
quando digo que passo
sem sequer ter dado um passo.

EM - O HOMEM É O HOMEM DO HOMEM - VERGÍLIO DE SENA - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA