Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Os olivais - RICARDO BRAGANÇA SILVEIRA


Querida Vila Do Forte Da Casa
Terra dos teus Olivais
Da janela da minha casa
Vejo os teus bonitos trigais

Os camponeses que trabalharam
Para a azeitona levar ao lagar
Sempre muito suaram
Para o Sol à capital levar

Pela nossa estrada real
Estendia-se o nosso Olival
Nas terras de nosso Portugal
Pela vida como o Sal

Forte da Casa, por ti sou orgulhoso
És puro como o brilho do cristal
O teu azeite sempre tão saboroso
O melhor de Portugal

EM - ACORDAR VIVO - RICARDO BRAGANÇA SILVEIRA - TEMAS ORIGINAIS

1 comentário:

  1. Encantou-me este poema, porque sempre adorei o "campo", mas não herdei nenhum olival, daí não usufuir desse tesouro. Que o conserve quem o tem. Hoje era-me impossível sonhar com isso , contento-me em ter à minha volta um pinheiral que não me pertence mas nele eu vejo e ouço um cântico divinal, nesta fase do ano.

    ResponderEliminar