Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

terça-feira, 10 de março de 2015

A Armia - MANUEL MARIA BARBOSA DU BOCAGE

Se os deuses me conferissem
A suprema faculdade
De espraiar a luz do dia,
E a nocturna escuridade:

Tarde no roxo horizonte,
Cândida Aurora, assomaras;
Tade as viçosas boninas
Com teu pranto rociaras.

O deus, de que és precursora
Só duas horas, não mais,
Vibrara neste hemisfério
Seus raios a Amor fatais.

Mais longa seria a noite,
Mais felices os amantes;
E eu, a sabor dos prazeres,
Dividiria os meus instantes:

A quarta parte do tempo
Ao grato sono a daria;
Outra igual às brandas Musas,
E ametade à minha Armia.

EM - ANTOLOGIA POÉTICA - BOCAGE - VERBO CLÁSSICOS

Sem comentários:

Enviar um comentário