Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O soneto do ponto final desta entrada - ANTÓNIO BOTTO


Eu sou quem sou. O resto não interessa.
Que me importa que falem do que faço
Porque quero fazer sem o embaraço
Daquele que só quer viver depressa?
Porque não falo dizem que é cansaço
De acreditar no fumo da promessa
Que não teve princípio nem começa,
Para mim que sou Alma a andar no espaço?
Coitado do que sabe dizer tudo
Sem noção da ignorância que mostrou,
- Não gosto de enganar e não iludo.
Devolvo à humanidade o que Ela faz
Condenando a moral que Ela inventou
Para dar todo o mal de que é capaz.

EM - CANÇÕES E OUTROS POEMAS - ANTÓNIO BOTTO - QUASI

1 comentário:

  1. Sabemos que é poeta assertivo nas suas convicções.O poema fala por si.
    Tive agora ocasião de me lembrar da sua obra .
    Grata.

    ResponderEliminar