Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Divina comédia - ANTERO DE QUENTAL

Erguendo os braços para o céu distante
E apostrofando os deuses invisíveis,
Os homens clamam: - «Deuses impassíveis,
A quem serve o destino triunfante,

Porque é que nos criastes?! Incessante
Corre o tempo e só gera, inextinguíveis,
Dor, pecado, ilusão, lutas horríveis,
Num turbilhão cruel e delirante...

Pois não era melhor na paz clemente
Do nada e do que ainda não existe,
Ter ficado a dormir eternamente?

Porque é que para a dor nos evocastes?»
Mas os deuses, com voz 'inda mais triste,
Dizem: - «Homens! Porque é que nos criastes?»

EM - SONETOS - ANTERO DE QUENTAL - ULMEIRO

1 comentário:

  1. Este soneto genial, daria uma tese de doutoramento, no meu entender.
    Não me admira a ansiedoade do autor, mas nem será tanto pelos deuses criados pelos homens, mas sim pelos lugares adstritos como o Inferno. Várias vezes dou com reflexões sobre isto o que não me atormenta pois quero viver nesta existência com saúde mental e física e não queria ser a protagonista da verdadeira Divina Comédia. Amo a Amizade e luto pelos meus amigos.
    Grata por me darem este Poema.

    ResponderEliminar