Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Barcas - VÍTOR CINTRA

Cruzam-se as portas dos desconhecidos,
Barcas afrontam ventos e marés;
Homens em busca de mundos perdidos,
Olhos atentos em cada convés.

Mandam os mestres. "Roda agora o leme
Rumo ao poente", p'ra alcançar o sul.
Levam nas barcas gente que não teme
Monstros que habitem nesse mar azul.

"Dá pano à gávea!... Olha a bujarrona!"
Gritam as vozes, no fim da bonança,
Sopram os ventos, já a barca dança.

Crescem as ondas, as fúrias à tona,
Soltam fantasmas, que estão na lembrança,
Crescem gigantes, mas a barca avança.

EM - ROMEIROS DOS OCEANOS - VÍTOR CINTRA - LUA DE MARFIM

Sem comentários:

Enviar um comentário