Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Soneto de Londres - VINICIUS DE MORAES


Que angústia estar sozinho na tristeza
E na prece! que angústia estar sozinho
Imensamente, na inocência! acesa
A noite, em brancas trevas o caminho

Da vida, e a solidão do burburinho
Unindo as almas frias à beleza
Da neve vã; oh, tristemente assim
O sonho, neve pela natureza!

Irremediável, muito irremediável
Tanto como essa torre medieval
Cruel, pura, insensível, inefável

Torre; que angústia estar sozinho! ó alma
Que ideal perfume, que fatal
Torpor te despetala a flor do céu?

EM - ANTOLOGIA POÉTICA - VINICIUS DE MORAES - DOM QUIXOTE

1 comentário:

  1. Está no meu blog. este Poema, desconhecido,mas a obra de VINICIUS DE MORAES é muito extensa.
    Quer seja "Torre ... " ou Soneto de Londres exala um sentimento profundo de tristeza e "lamúrias" que parece serem persistentes em vários textos. Quando musicados e cantados por A.C. Jovim e outros , uma amenização é conseguida e parte destas emoções desvanecem e isso é positivo.
    Grata.

    ResponderEliminar