Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Oráculo - CORSINO FORTES

Quando o arquipélago aperta
                                    perto! longe
                          A mão dos continentes


Quando a ilha rasga no deserto
                          uma cicatriz de pedra
Iamais o crânio de sol! no mastro da solidão...
Uma pedra no deserto + um dragoeiro
Um anjo da guarda! no útero da paisagem

                          Não! na ilha

Toda a palavra é útero de sete pedras
                          E
Toda a pedra é um poeta bissexto
Leva quatro anos de pudor
E quarenta & tantos de paixão
Para inundar o deserto da estiagem
Com o dilúvio de chama que bebe
Nas crateras do jazz & batuque da esperança

EM - A CABEÇA CALVA DE DEUS - CORSINO FORTES - DOM QUIXOTE

1 comentário:

  1. Não faltam oráculos, nos dias de hoje.
    Este tem lampejos de classicismo, o que me surpreendeu. Recordei!
    Não espero ir ao encontro deste ou de outro, dão sempre o "contento", no emaranhado das ambiguidades respondidas.
    Grata.

    ResponderEliminar