Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Deixai-me ser a minha própria poesia... - ISABEL BASTOS NUNES

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO POR IN-FINITA
Saibam mais da autora neste link
Conheçam a In-Finita neste link

Pergunto-me se vale a pena sonhar
E iluminar de luzes etéreas e mágicas
Um lugar de paz, amor e calma serena,
Onde a vida seja tão amena,
Como amena, eu desejaria ter a vida comigo.

Pergunto-me então se sou capaz
De transformar o destino derradeiro
E, com um passe de magia,
Mudar de cena o mundo inteiro.

Pergunto-me então porque ainda sonho
Sabendo que tudo é utopia,
Fazendo-me jamais acreditar
Em ter na vida, aquilo que desejaria?

Pergunto-me ainda porque ousei sondar
O brilho do firmamento
Buscando nele a inspiração,
Quando de olhos no escuro,
O meu coração chora, de tanto sofrimento.
Pergunto-me então porquê
Suplicando eu, na minha eterna escuridão
Porque é que o mundo não me entende e não me escuta?
E, se a razão de eu ser assim,
É consequência da minha própria luta,
Então deixai que a minha dor não se torne em agonia
E deixai-me escrever livremente como eu quero,
Deixai-me também, ser eu, a minha própria poesia!

EM - À PROCURA DE MIM - ISABEL BASTOS NUNES - IN-FINITA

1 comentário:

  1. Muito interessante a confissão , pois ´perante as adversidades,quer ser sempre poeta...

    ResponderEliminar