Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

37 - JOÃO AYRES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR
Saibam sobre o autor neste link

Tudo se perde no caos
Tudo que se vai e se perde em lugar algum
Tudo se perde no caos, na inexorável direção do fim
Estranhamente como um breve suspiro
Como uma maneira inusitada de se morrer num dia sem iguais
Como um fechar de olhos, como uma pausa agonizante no escuro
Como um frio intermitente em qualquer idioma benfazejo
Como o sangue que circula da carótida até o cérebro e que reluta a meio caminho.
         
Tudo se perde no caos,
Na noite qualquer na qual tudo nasce e cresce e deixa de existir e morre
Tudo se perde como uma dinastia no correr dos séculos
Tudo se perde como um barco vazio na imensidão dos oceanos
Como o vento e as tempestades imprevistas, tudo se perde no caos,
Nas horas e no tempo emudecido
No abandono dos dias cinzentos
No caos e tão somente no caos
Na inexorável direção do fim.

EM - POEMAS ESCUROS - JOÃO AYRES - ARMAZÉM DE QUINQUILHARIAS E UTOPIAS

Sem comentários:

Enviar um comentário