Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Nem um soldado prà colónia - JOAQUIM MANUEL MAGALHÃES

Transeunte, de comício,
roçou-me, imediato e ávido.

No reservatório de gelado
suficiente uma gasosa
e o zip tangente.

Magote de pacotilha,
bandeiras e barulho símio
a cabide na guerra.

Anuímos aos ajuntamentos e
desirmanaram
e taparam
uma dívida de magma.

EM - UM TOLDO VERMELHO - JOAQUIM MANUEL MAGALHÃES - RELÓGIO D'ÁGUA

Sem comentários:

Enviar um comentário