Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O tempo não morre - GILBERTO RUSSA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA

Escolhe o teu governo e fica
Ao relento pela austeridade.
Sobe ao rochedo da vida
Enquanto pode navegar.

Analisa o olhar do fundo
Da ravina das políticas europeias...
Erguer-te nas ondas do espaço,
Observa o tempo de cima
Da tua cultura humana.

Liberta-te do plano que te amarra
Pela austeridade,
Num gesto de ingratidão política!
Que o espaço solto agarra
Ou lembra a fome
No mais pulcro da solidão cultural.

Depois, só o pensamento
Habitará contigo,
Onde tudo é tão estranho
Sem medida nem tamanho
Na política europeia.

Tempo que não morre,
Nem se liberta, revive no romantismo.
O tempo não morre... e não morre,
Apenas se desgasta
Pela austeridade Política.

EM - PRINCÍPIO DE UM VAZIO - GILBERTO RUSSA - UNIVERSUS

Sem comentários:

Enviar um comentário