Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Queria eu ser noite (de Natal) - AUSENDA HILÁRIO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA EDITORA
Silvava a ventania
tão forte e desarvorada,
que nenhum poeta
a tornaria bela.
Cada folha,
por mais airosa que fosse,
tombava no chão
como um rumoroso trovão.
Acaso a lua enfurecida
guardava a manhã, escondida.
Nem luz, nem sol nem as estrelas.
Só o silêncio do vento zunia
na noite, inquieta de um sonho
em que eu,
ao invés de tempestade,
queria ser desejo
para anoitecer,
alegre,
iluminada e irrequieta
como uma noite de Natal.

EM - LUGARES E PALAVRAS DE NATAL - ANTOLOGIA - LUGAR DA PALAVRA

4 comentários:

  1. Uma aragem que me faz bem (tu)! Grata sempre! Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes que gosto da tua poesia... e de ti também. Beijo!

      Eliminar
  2. Não sofri aragem, a noite de Natal foi envolvida em calor humano e em paz circulante.
    O exterior natural não se prendeu ao meu ser.
    Gostei desta poesia. Grata.
    Manu: Boas Festas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Beatriz! Grato sou eu pelas suas visitas constantes a este espaço de poesia. Obrigado. Boas festas.

      Eliminar