Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Amor é fogo que arde... - LUÍS VAZ DE CAMÕES


Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence o vencedor;
É ter, com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode ser favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

EM - POESIA LÍRICA - LUÍS VAZ DE CAMÕES - VERBO

1 comentário:

  1. Admira-me como este poema não tenha tido um comentário. Creio que não há
    ninguém que o não saiba de cor.
    Na minha forma de o analisar, há nele certa ambiguidade,talvez como um escape ao seu sofrimento de amor, de que sou ciente. Só que nas minhas vivências sei que doi, e por amor o sofrimento é atroz, indescritível. Realço esse pendor do poema. Gosto de o ter no meu blog.

    ResponderEliminar