Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

As perguntas - FRANCISCO JOSÉ VIEGAS


Não tem rosto, o Deus dos perplexos. Nem voz.
Nem arrependimento. Nem a alegria dos alegres
ou o medo da escuridão. Não posso dizer-vos como
se encontram os seus caminhos, se o melro poisa

nas hortas junto do rio, ao adivinhar a tempestade.
Deus predador, o nosso, prudente, interdito,
que desagrada ao canto mais simples. As nossas
pegadas ficam no deserto, aguardam a passagem

como um fantasma que se desprende da chuva.
Esta luz é incerta, balança sobre as varandas, ameaça
os dias, converte ou desarma todas as palavras certas,

todos os olhos abertos. Não tem rosto, o Deus dos
perplexos, não caminha nos precipícios, não arde
como a urze fitando o céu, não o comove a morte.

in... O puro e o impuro - FRANCISCO JOSÉ VIEGAS - Quasi

2 comentários:

  1. -
    porém,
    tem a aparencia
    dos sem rosto . . .
    ,
    saudações,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  2. O Universo conduz-me para a existência de um Criador, mas creio que Deus está em cada um de nós,nos nossos talentos, nas nossas virtudes. Talvez seja lírica, mas sou um pouco panteísta.
    Gostei de refletir.

    ResponderEliminar