Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Unidade - ALBERTO DE LACERDA


Em gradações subtis, cada vez menos
Intensas, os meus sonhos libertassem
Os traços convergentes e amenos
Emergindo de aonde as formas nascem

Uma unidade límpida viesse
Ao meu encontro, após a tempestade!
O nimbo antigo que o mistério tece
Quisera eu habitar sua verdade.

Vértice, inigualável convergência!
Aspiração à unidade austera:
A sumptuosa e pura, pura ausência
De quem espera num sonho, e o sonho espera.

Os sonhos cansam, mais do que a esperança
Busco a unidade, resta-me a mudança.

in... O pajem formidável dos indícios - ALBERTO DE LACERDA - Assírio & Alvim

Site da editora aqui

1 comentário:

  1. Neste Poema afigura-se um conflito interior, tantas vezes nos domina, com a busca incessante de atingir a unidade...
    Um Poema digno de registo.

    ResponderEliminar